SERMÃO DE PAULO AOS ANCIÃOS DE ÉFESO (Atos 20.17-35)

É difícil dizermos qual dos sermões do grande apóstolo é o mais lindo e o mais emocionante. Mas aqui temos uma das maiores passagens de todos os tempos. Infelizmente esta passagem é muito usada em nossos seminários não para que se julgue a sua mensagem, mas para se ver os termos. pastor... etc. Procuremos hoje com o auxílio de Deus ver o que a passagem nos revela. A impressão primeira é que Paulo está falando mais para mostrar sua concepção de ministro e a bênção que disto advém.


I - TESTEMUNHO DE PAULO A RESPEITO DE SEUS TRÊS ANOS ENTRE ELES

Há três coisas distintas pelas quais o grande apóstolo passou: Três anos de vida cheia de lágrimas e tentações.

1. Humilde - semelhante o seu Mestre que era humilde. O cristão verdadeiro, genuíno é humilde. O cristão arrogante está muito longe de ser semelhante a seu mestre. Paulo não sofria o que alguns crentes sofrem por causa da arrogância.

2. Uma vida de lágrimas... Paulo estava fazendo a vontade de Deus. Estava pregando o conselho de Deus, mas apesar disto o fazia muitas vezes com lágrimas. Jesus também derramou lágrimas... Grandes crentes derramam lágrimas... Uma grande geração de batistas que seguem a Cristo sem lágrimas nos olhos pelas necessidades do mundo, não poderá seguir de perto por muito tempo aquele que chorou sobre Jerusalém. O Evangelho é de lágrimas e deve ser regado por lágrimas até o dia quando chegarmos ao lugar onde não haverá mais choro.

3. Uma vida de tentações - A palavra traduzida aqui por tentação quer significar nesse contexto preocupações. Todavia quem ignora o fato de que Paulo sentia como tendo um mensageiro de satanás para esbofeteá-lo? Bem-aventurado o varão que sofre a tentação... Não o que se entrega a ela, mas o que pode vencê-la pelo poder de Deus. Este receberá uma coroa de glória..

Mas, apesar das tribulações e lágrimas do apóstolo ele anunciou aqueles "todo o conselho de Deus". E duas coisas são fundamentais nesse conselho de Deus: "Anunciei o Evangelho e o arrependimento e fé em Deus".

Pode haver diferença de pregador, diferença de consagração. Mas se existe um meio de pregação é este: arrependimento das obras más praticadas e necessidade de fé genuína em Cristo.


II - A CONSAGRAÇÃO DO APÓSTOLO EM SUA NOVA MISSÃO

"Vou para Jerusalém... Como posso saber o que me há de acontecer? Sim, aqui temos alguns fatores revelados pelo apóstolo:

1. Primeiro, sua consagração a Deus. O crente não é dono de sua vida. O crente em Cristo está pronto a consagrar-se a Ele. Muitos discutem hoje em dia porque a igreja proíbe certos vícios, ou certas sociedades. Meu amigo, o Cristianismo deseja todo o homem, não uma parte, não uma dupla personalidade. Paulo estava pronto a pregar e estava pronto a ir a Jerusalém saber o que lhe estava sendo reservado. Muitos ministros hoje em dia não querem se sacrificar e o resultado são ovelhas viciadas e preguiçosas, mundanas e desinteressadas.

2. Paulo era alertado pelo Espírito. Seu Espírito diz ao nosso espírito que somos filhos de Deus.

3. Paulo sabia que era da vontade de Deus sua ida a Jerusalém. Mas a vontade de Deus é muitas vezes morte, sofrimento e dor. Mas ainda assim paga a pena (Ilustração: Frost e o trigo que era de Wyoming e não de Minnesota e que perdeu fregueses por dizer a verdade...). Compensa, mesmo que doa.


III - A RESPONSABILIDADE DOS OBREIROS CRISTÃOS

1. Vigiai sobre os lobos.

2. Vigiai contra os homens perversos, alguns dos quais estavam na própria igreja lá

3. Vigiai contra a cobiça de ouro, prata e vestes.


IV - O EVANGELHO QUE PAULO PREGAVA EM ÉFESO

1. O Evangelho da vida semelhante a Cristo. De trabalho intenso e devoção inteira...

2. Um Evangelho de dar, sem esperança mesmo de receber. Dar a semelhança de Jesus pela bem-aventurança que existe em dar...

3. Um Evangelho de arrependimento e fé. Meus amigos, esse é o Evangelho que prego hoje. Não faço questão de número de decisões porque não batizamos números. mas fazemos questão que aqueles que desejem, seguir a Jesus o façam.

4. Quando pregamos este sermão na Igreja Batista da Tijuca era dia de batismo. Não fizemos convite. Mas, ao nos preparar para o batismo chegou um moço e disse: Quero me batizar... Mas nunca vi o senhor... Bem, mas eu aceitei a Jesus e quero me batizar. Na quarta-feira recebemos o moço em profissão de fé. Quando lhe perguntamos sobre a doutrina do dízimo, aquele moço disse: Eu aceitei a Jesus, portanto eu quero fazer tudo o que Jesus mandar. Isto não é problema.

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo: