SENHOR PEÇO QUE LHES ABRA OS OLHOS PARA QUE VEJA (2Reis 6.17-18)

Sermão pregado em 10.01.1971 na Igreja Batista da Esperança


Seria interessante considerarmos as duas orações que aparecem neste trecho. Uma pedindo que Deus ferisse o povo de cegueira e outra para que lhes fossem abertos os olhos. Os olhos do moço deveriam ser abertos para que visse o livramento do Senhor, enquanto os olhos dos sírios deveriam ser abertos para que se apercebessem da sua horrível situação espiritual.

Consideraremos hoje a grande oração de Eliseu em favor do seu auxiliar, rogando a Deus que nos venha de igual modo despertar no amor, serviço e compreensão da nossa vida e responsabilidades.


I - A OCASIÃO EM QUE ESTA ORAÇÃO FOI FEITA


1. Era uma ocasião de perigos. As hostes inimigas estavam a ameaçar o profeta e o povo de Deus. Eliseu havia dito ao rei de Israel os planos do rei da Síria e isto o irritara e fizera aumentar os efetivos com que derrotar as hostes de Israel.

2. O rei de Israel tinha a ideia de que pelo número de soldados haveria de vencer a Síria. Eliseu tinha seus olhos ungidos pela fé no Onipotente e, destarte, via sua vitória na força de Jeová. Suas eram as palavras do Salmo 3.6.

3. O moço de Eliseu, talvez moço e pregador, não possuía ainda acuidade espiritual de modo a perceber os livramentos de Deus.

4. Vendo o moço aflito que para ele corria, disse o profeta a Deus: “Senhor, abre-lhe os olhos, para que não se impressione tanto com o perigo que o cerca, mas para que veja e sinta o teu livramento”. Em linguagem do Novo Testamento seria o apelo de Paulo: “Senhor, abra os seus olhos para que sinta uma vez mais que “Se Deus é por nós, quem será contra nós”? (Romanos 8.31).


II – O QUE A ORAÇÃO SIGNIFICOU PARA O JOVEM

1. Uma revelação de valor da fé. Com os olhos físicos e carnais o jovem vira destruição e morte. Mas com os olhos abertos pela fé no livramento do Senhor, seus temores fugiram e sua vida se transformou numa vitória.

2. Ele aprendeu que Deus é aquele que nos dá visões e nos dará, se pedirmos. Podemos guiar um cego, mas não lhe daremos a visão. Em João 9.32 temos aquela declaração: “Desde o inicio do mundo não se tem ouvido que alguém haja abertos os olhos. Os homens podem confeccionar óculos e receitar óculos, mas somente Deus pode dar olhos e visão verdadeira.

3. O moço aprendeu que para Deus livramento é possível e é instantâneo, quando suplicado por uma oração de fé. A oração de Eliseu foi imediatamente respondida, porque ele andava nos caminhos do Senhor e pedia em perfeita crença no poder do Senhor.


III – SENHOR, ABRE-NOS OS OLHOS NESTE DIA

1. Abre-nos os olhos para que apercebamos da grandeza das tarefas aparentemente pequeninas que se encontram confiadas a nós. Uma classe de Escola Dominical, um pequeno ponto de pregação, uma classe de alfabetização, num ambulatório, um cargo pequeno e humilde, mas que nos foi entregue por Deus para operação perfeita de sua igreja. Olhos abertos pela fé em Deus. Olhos cheios de visão celeste que vêem maravilhas das conquistas de Deus. Há fracassos em classes da Escola Dominical, fracasso no trabalho ao Ar Livre. Há lideres de pontos de pregação que não lhes dedicam atenção ou oração. Deus nos tirará tais oportunidades se não tivermos visão de fé para vê-los em sua plenitude. O moço de Eliseu era crente, mas precisava de visão espiritual. Aqui está o ponto para orarmos e vivermos.

2. Abre-nos os olhos para que sintamos o peso de nossas necessidades.

3. Abre-nos os olhos para que tenhamos o sentido do mundo perdido ao nosso redor.

4. Que Deus nos abra os olhos para nossas responsabilidades. Que estamos fazendo com aqueles que Deus nos tem dado em nossos cultos? Como estamos cumprindo as responsabilidades sagradas de visitar aqueles que a igreja nos tem confiado?

Cartas em número de quase oitocentas vieram somente no mês passado para pedir orações a favor de dezenas de pessoas. Mas como oraremos se não compreendermos o significado da oração, sem entusiasmo e sem fé...

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo: