top of page

RIOS DE ÁGUAS VIVAS (João 7.37-38)

Sermão pregado na Igreja Batista da Tijuca (atual Primeira Igreja Batista no Andaraí – RJ) em 27.01.1052


Temos penado no sublime tema da mordomia durante os quatro domingos deste mês de janeiro. No primeiro domingo, discutimos os sérios compromissos que assumimos com a nossa igreja perante Deus. Espero sinceramente que o número daqueles que contribuem para a Causa aumente de modo bem significativo. Lembramos também de aumentar nossas contribuições para as ofertas alçadas, que estão na estimativa de receita.

Vimos, em seguida, a origem, prática e bênção do dízimo, uma das mais preciosas doutrinas bíblicas, ou seja, a da participação do homem nos ideais do Reino de Deus, pela contribuição de seus haveres.

Domingo passado discutimos nossa responsabilidade como mordomos de Deus, para usar nossos corpos, nossos dons e nossos talentos de maneira uniforme para a extensão do Seu Reino. Hoje discutiremos o assunto: "Rios de Águas Vivas", sem dúvida uma das mais sublimes expressões que tem saído dos lábios do Divino Filho de Deus.


I - RIOS DE ÁGUAS VIVAS

Há um símbolo nesta mensagem. Interessante será notarmos que não existe no Velho Testamento exatamente a expressão usada por Deus. Mas existe a expressão usada por Jesus. Mas existe uma série de passagens que implicam na verdade aqui anunciada, para a qual faremos bem em atentar.

1. Em Números 20.11 encontramos a linda experiência de Moisés diante da rocha que jorrou água em abundância. Lembramos que aqui Moisés cometeu seu grande pecado batendo duas vezes na rocha, quando deveria somente falar. A sugestão que nos vem à mente é que Deus pode suscitar água viva de qualquer coração por mais negro que tenha tido o passado, conquanto que se dedique a Ele e O aceite. Qualquer pessoa pode ser um crente feliz, conquanto que O aceite.

2. Em Ezequiel temos a menção à torrente de águas purificadoras que saiam para abençoar a terra. É da casa de Deus, por intermédio do ministério de seus santos, que devem sair essas águas purificadoras. Daqui não devem sair contendas e ciúmes e invejas, mas águas purificadoras que despedacem o coração dos indiferentes, não só cinquenta, mas muito mais.

3. Em Zacarias 13 e 14 temos a menção à fonte aberta que havia em Jerusalém. Aqui é o símbolo daquele que gera as fontes, ou seja, o Divino Salvador, na Pessoa do Espírito Santo. Ele é o agente gerador e nenhum de nós chegará a possuir esta bênção a menos que lhe dedique a vida e tudo que tem.


II - RIOS DE ÁGUAS VIVAS - Um desafio

1. Aquele que crê se torna em fonte. Não pode haver um crente verdadeiro que não traga outros crentes verdadeiros a Cristo. Até aquele professor que trouxe almas a Cristo na China somente pelo testemunho, uma vez que fora proibido de falar em religião. Temos o dever de examinar nossa vida e nossa consciência e ver se ganhamos alguma alma. Perguntaram a um pregador: "Por que tão pouca gente converte em nossa igreja? Porque você não tem nada para dar ao sedento. Já notastes o que caracteriza o sedento? Tome uma talha limpa e ponha diante da multidão. Os sedentos virão procurá-la, mas se estiver vazia ninguém a notará. Muitos não procuram os crentes por saberem-nos vazios. Nada melhor, nada acima dos outros.

2. Duas maneiras de furar poços: uma simplesmente chegar ao lençol d'água,. Outra, pela sonda ir até o reservatório.

3. Meus irmãos, Jacó não se tornou respeitado de seus inimigos até que pôs fora os ídolos de sua casa. Seremos crentes malditos enquanto não pusermos fora os ídolos de nossa casa, seja vaidade, gênio, língua pesada e suja, sentimento de superioridade.


III - RIOS DE ÁGUAS VIVAS - Como alcançá-los.

1. Pagando o preço em fé. "Venha sempre a mim e se sacie" - João 7.38. Enquanto puder confiar em mim mesmo não confiarei em Cristo. Um grande cristão, Dwight Lyman Moody - 1837-1899 - escreveu: "Deus não dará esse poder a um impaciente, egoísta, ambicioso, orgulhoso, mundano".

O que continuamente crê em mim"... Já dissemos que muitos crêem em Cristo para salvação e somente. Temos de crer em Cristo para tudo. Quando cremos em Cristo para tudo lhe obedecemos em tudo. Pagamos-lhe os dízimos, assistimos os cultos, temos paz uns com os outros, crescemos em humildade.

2. Pagar o preço em obediência. Já vimos no estudo sobre "Introdução ao Pentecostes" como os discípulos estavam prontos a obedecer. Se não estivermos prontos a obedecer em tudo continuaremos famintos, raquíticos espirituais, sem nunca crescer.

3. Pagar o preço em submissão. O Senhor é meu dono. Vivo para Ele e somente para Ele. Ele é minha paixão. É mais que minha família. Mais que minha sociedade. Mais que meus desejos mais caros. O Senhor tem o primeiro lugar porque Ele não se satisfaz com segundos lugares.

Comments


Se desejar, deixe o seu comentário abaixo:
bottom of page