QUEM DE NÓS É O MAIOR? (Lucas 22.24; João 13)

Pregado em 11.10.1953


Os evangelhos nos relatam duas ocasiões em que os discípulos discutiram a respeito de quem seria o maior. Na primeira ocasião, Lucas coloca o incidente logo após Jesus ter falado de sua própria morte. Nesta ocasião que estamos considerando, Jesus se encontrava a poucos passos da cruz.

Na primeira ocasião eles discutiram, pensa alguns, a respeito de si mesmos como maiores que aqueles que viviam fora do seu círculo íntimo do disciplinado. Aqui eles estavam discutindo sobre quem seria o maior dentro do seu próprio círculo, dentro de sua própria família apostólica, por assim dizer.


I - QUEM DE NÓS É O MAIOR?


1. Notemos de início que houve contenda entre eles. E não era contenda de dois somente ou uma contenda nos pensamentos que nos dá a entender a narrativa do mesmo acontecimento ocorrido anteriormente, mas uma contenda de discussões.


2. Cada um deles discutia seu lugar de afeição no ministério de Jesus. Alguns vêem a discussão na própria localização dos comensais à mesa da Ceia Pascal. Outros percebem a dificuldade como oriunda da vaga que estava sendo aberta no colégio apostólico com a deserção de Judas. Outros ainda vêem na morte do Senhor a causa da preocupação. O capítulo 19 de Mateus encerra-se com o famoso incidente em que Pedro pergunta a Jesus ,o que haviam eles de receber por haverem deixado tudo por amor ao Senhor.

3. Seria legítima a reivindicação e o pensamento dos discípulos. Vos recordais por certo da mensagem que pregamos deste púlpito sobre a glória perdida. A glória do homem antes do seu pecado e a busca que esse homem faz desde então para suplantar a deficiência que o pecado lhe veio causar. Agora aqui estão aqueles remidos do Senhor a lutar com a sua carne, com a sua vaidade. Se eles não tivesse brigado, discutido, desviado, seu mal não seria tão grande. Afinal, Jesus gostaria que todos os onze fossem igualmente o primeiro. E ao apresentar a gloriosa promessa de recompensa Jesus a estende a todos eles, tão grande era a sua misericórdia.

4. Já pensastes, por acaso sobre quem de vós é o maior no conceito da igreja? No conceito dos irmãos humildes? No conceito do pastor? Já pensastes no conceito que gozais em meio aqueles com que trabalhais? Qual o conceito de vosso patrão a vosso respeito? Sois melhor empregado ou empregada?


II - QUEM DE VÓS É O MAIOR?

1. Notemos de início que Jesus reconheceu que um deles era maior. Seria André, aquele ganhador de almas impoluto e destemido? Seria por ventura Filipe o calculista, o introdutor diplomático e amigo de André? Seria Bartolomeu ou Mateus aquele hospitaleiro discípulo que serviu um banquete ao Mestre? Seria Pedro intérprete do grupo? Seria João o amigo sincero, o amigo silencioso sentimental? Qual deles era o maior?

2. Em primeiro lugar o maior não o era segundo o conselho do mundo. Nas firmas grandes e grandes companhias nem sempre os promovidos são os mais qualificados. Entre as ordens maçônicas o maior é quem sabe melhor dirigir as preces. No meio do espiritismo o maior é quem é um médium, um veículo mais perfeito nas mistificações. Na Igreja Romana o maior é que possui mais dinheiro. E no Reino de Deus?

3. Olhemos o capítulo 13 de João. Aqui está a resposta de Jesus aos seus discípulos: "O maior é aquele que mais serve e que serve com um coração consagrado e amigo"


III - A IGREJA E A OPORTUNIDADE DE NOS TORNARMOS GRANDES PELO SERVIÇO


Quem de vós se consagra hoje em seu coração a se tornar um vaso de bênçãos, um instrumento de serviço nas mãos de Deus?

Certo diácono consagrado de uma Igreja Batista conta sua conta sua experiência: E a funcionária da Standar Oil e sua família muito feliz. Todos eram membros da igreja, mas membros formalistas, sem parte ativa no trabalho. Minha dificuldade, dizia, era com a família da esposa. Ela sempre queria visitar os parentes no domingo e perturbava minha possibilidade de me consagrar a Deus. A eleição veio e seu nome foi apresentado para a classe de moços... Não posso irmãos, porque minha esposa tem de fazer visitas.

Talvez um mês se passou. Veio o Natal. Era domingo, mas a esposa precisava levar os presentes aos parentes. Mas a gasolina do seu carro terminou quando o carro galgou a passagem do trem. Violenta colisão e tudo perdido. A esposa e os filhos faleceram. O pastor disse: "Não tema, irmão, Romanos 8.28 é ainda verdadeiro" Naquela noite o homem disse a Deus: "Oh Senhor, eu consagro a Ti o resto que possuo". Tornou-se o melhor professor da Escola Dominical daquela igreja".

JEOVÁ JIREH... Gênesis 22.12... "O Senhor proverá". Abraão havia consagrado seu tudo a Deus e Deus dirigiu-lhe os passos. Quem sabe alguém hoje precisa o seu JEOVÁ JIREH?

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo: