QUANDO JESUS SE ME AFIGURA MAIS PRECIOSO (Hebreus 4)

Sermão pregado em 06 de fevereiro de 1955


Possivelmente haverá quem veja no Cristo que procuraremos estudar um traço diferente daquele que caracterizamos como o mais lido, o mais apelante, o mais glorioso dessa vida maravilhosa.


I – CONTRASTES NO GRANDE CRISTO

1. Jesus é uma personalidade cheia de contraste. Vejamos. Ao inicio da narrativa de Lucas (4.1) nós o encontramos faminto. Mas em sua solidão e fome recebeu a visita de Satanás que busca destruí-lo para sempre. As tentações eram insinuadoras e teria feitro o primeiro Adão sucumbir facilmente. Mas jamais abalaram o Cristo que tão fraco de corpo era invencível no Espírito.

2. Mas no mesmo Evangelho encontramos aquele que enfrentara a Satanás saindo por entre a multidão que o perseguia, sem uma palavra de explicação, sem queixa.

3. No Evangelho de João, temos o Cristo cheio de ternura a assistir a um casamento. Mas logo adiante o mesmo Cristo está de azorrague (chicote) nas mãos expulsando os ladrões do templo.

4. Ali está o Cristo que tem nas mãos alguns pães e alguns peixes e que os multiplicam para a multidão, mas no dia seguinte o mesmo Cristo não somente recusa a multiplicar pão como diz palavras duras à mesma multidão que alimentara o dia anterior.

5. Tão flagrantes eram os contrastes em Jesus que seus ouvintes o classificavam de modos diversos: Para uns era Elias, o profeta que mandava vir fogo do céu e que profetizava o aniquilamento total de seus adversários. Mas outros viam nele as lágrimas de Jeremias, o profeta de coração tenro.

6. Jesus fala com Pilatos, respondendo às suas perguntas, mas silenciava diante de Herodes. Discutia e vencia a todos os adversários, mas não fazia um esforço sequer para se libertar de suas mãos na noite da prisão.


II – QUAL O CRISTO DE NOSSA GRANDE AFEIÇÃO?

1. Alguns se maravilham com o Cristo criancinha de Belém. Era tanta a pobreza, tão indescritível a sua necessidade. Assim desamparado e pobre, deitado numa pequena manjedoura, o rei de toda a terra. Este é o quadro aparentemente impossível.

2. Outros sentem o fascínio de Cristo vencedor de Satanás. No deserto uma vitória; durante o seu ministério a cada investida do tentador, Jesus o vencia maravilhosamente.

3. Um terceiro grupo sentirá o fascínio de Cristo miraculoso. Ei-lo majestoso que anda sobre o mar. Ei-lo a curar as mais estranhas enfermidades. Ei-lo a banir os espíritos, a ressuscitar mortos, a conduzir o cego pela mão...

4. Talvez um grupo se maravilhe com Cristo que atendia a Zaqueu em sua residência. O Cristo que podia declarar: “O Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido” (Mateus 18.11).

5. Há ainda o grupo daqueles que amam a Cristo visionário por causa de sua vitória sobre a morte. O Cristo que venceu no Calvário agora dizia cheio de confiança no futuro da obra que estava iniciando. “É me dado todo o poder no céu e na terra”... (Mateus 28.18).

Eu amo a todos esses lances do caráter glorioso de Jesus. Mas em nenhum deles o vejo mais precioso. Qual será o Cristo mais precioso para mim?


III – MEU CRISTO MAIS PRECIOSO É O CRISTO COMPASSIVO

Eu amo o Cristo que não julga as aparências, mais que penetra no íntimo e vê o coração. É o Cristo que é a lealdade em forma de santo. É o Cristo que ama, que guarda justifica e alegra e conforta.

1. Ali está o pobre crente caído na tentação. Seu coração está partido e sua fé continua em Deus... Quando eu preciso do meu Jesus... Quando eu tropeço perto da cruz... Cristo está perto com sua luz... Quando eu preciso mais e mais...

2. Ali estava o paralítico quebrado pelo pecado. Seus amigos o trouxeram. Jesus sabia que aquele moço era vítima do seu pecado. Olhou para eles e vendo a fé que sentia disse logo de início: “Filho, perdoados estão os teus pecados... (Mateus 9.2).

3. Ali estava a mulher hemorrágica por entre a multidão temerosa e aflita... “Não temas... Tende bom ânimo”... (Mateus 9.22).

4. Ali vemos a multidão faminta... “E teve compaixão”... (Mateus 9.36).

5. “Vinde a mim todos que vos achais cansados e oprimidos”... (Mateus 11.28-30). Uma pobre decaída veio adorá-lo aos pés... “Filha, a tua fé te salvou, vai em paz... (Marcos 5.34).

6. Os algozes trouxeram a mulher apanhada no pecado. O Mestre escrevia na terra... Ninguém te condenou... (João 8.11).

Li de reunião de pastores em São Paulo que escreveram suas faltas depois colocaram na sacola e oraram... depois queimaram tudo aquilo... Jesus viu tudo...

7. João gostava de dizer: “Temos um advogado para com o Pai”... (1João 2.1). Que é um advogado? Aquele que assina um papel e coloca sobre os ombros toda a sua luta.

Em tudo foi Ele tentado, mas sem pecado, pelo que pode socorrer os que são tentados.


Se desejar, deixe o seu comentário abaixo: