O CRENTE, SUA PALAVRA E SUA LINGUA (Tiago 3.1-12)

Todos nós temos língua e todos nós gostamos de usá-la. Todos nós erramos com a nossa língua; portanto, precisamos ouvir de quando em quando uma mensagem a seu respeito. Traduzi uma frase sobre a língua que vou ler para os irmãos: “A desossada língua, pequena e fraca. O grego afirma, amassa e mata. Ela destroi em maior escala que a espada. O turco fala... O Persa acrescenta, a língua encurta a vida. Não deixe que o mal em tua língua apareça. O judeu acrescenta em pergunta que cala: “Se tu guardas teus pés, por que não tua fala”? Mas é o sagrado escritor outra vez a dizer: “Guardas a língua e tu guardas a tua alma”.


I - O PODER MARAVILHOSO DA LÍNGUA

1. Falamos do poder do rádio. Mas que seria seu poder se não fosse a palavra?

2. Tiago ilustra três maneiras do poder da língua:

(1) Ela é tão poderosa quanto o freio que os cavalos usam. Pelo freio dirigimos o corpo inteiro. Quem não sabe o perigo de cavalgar um animal sem freio? A língua então é poderosa para dirigir o corpo.

(2) Poderosa quanto o leme. Um pequeno leme dirige um grande navio. O maior transatlântico é dirigido por um pequeno leme.

(3) A língua é semelhante a um fogo. O poder do fogo que destrói

3. Como o cinema, a língua usada para o bem será uma das maiores bênçãos do mundo. Que maravilha a língua de Jesus, que palavras de vida Ele pronunciou.


II – AS REVELAÇÕES ESPANTOSAS DA LÍNGUA


Alguém disse que a primeira coisa que o médico pede ao cliente é mostrar a língua. Que bom seria exigir tal coisa dos crentes.

1. Revela a nacionalidade de uma pessoa (Juízes 12.5-6). 42 mil pessoas morreram por causa da má pronúncia de uma letra. Pedro em Mateus 26.73: “Tua fala te condena”.

2. Revela o que vai no coração (Mateus 12.34). Certo pastor ao falar de um determinado cidadão, disse: “Ele procura esconder, mas quando se ira, revela”.

3. Revela o caráter de uma pessoa. (Ananias: “Me deste a herdade por tanto? (Atos 5.1-8). Quando Simão, o Mago, quis comprar o Espírito Santo, revelou o seu caráter Atos 8.18). Há indivíduos que quando abrem a boca já se sabe o que vem...

4. Revela a crença de uma pessoa. Com ela bendizemos a Jesus. “Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus... (Romanos 10.9).

5. Revela o grau de cultura de uma pessoa.


III – O CRENTE E O USO DA LÍNGUA

1. Não há palavras inconsequentes. Há bem pouca coisa que se possa falar com segurança e muita coisa que se deve guardar sem revelar (Franklin de Oliveira 1916-2000).

2. “Sim, sim, não, não”... (Mateus 5.37). O sim do crente deve ser sim independente de juramento. O que ele diz em palavras deve ser um fato. O valor de uma pessoa está na veracidade de sua palavra. Se a palavra de nada vale, menos valerá a pessoa que a proferiu. A palavra deve ser tão inviolável quanto a vida. Tudo que se passa disso é procedência maligna.

3. Quando Deus quis comunicar-se com o mundo fez por meio do Verbo, a Palavra. O crente deve comunicar o Verbo ao mundo por meio da sua língua.

4. Paulo diz: “Sejam vossas palavras temperadas com sal (Colossenses 4.6).

5. No muito falar não falta transgressão... (Provérbios 10.19).

6. O que guarda a língua guarda a alma (Provérbios 13.3)

7. Sejamos a regra da perfeição segundo Tiago. Se alguém não tropeça em palavras o tal varão é perfeito. Mas Jesus diz: “Sede, pois perfeitos... “(Mateus 5.48).

Aquele que não tropeça em palavras pode controlar-se. Examinemos a nós mesmos e vejamos a que distância estamos da perfeição. Seja o vosso sim, sim. O mentiroso não é crente.

Os soldados vieram buscar Jesus, mas não o levaram por causa de suas palavras. Que estaria ele dizendo? Ele era autoridade, não precisava jurar... Se vos digo a verdade por que não me credes? Ele falou para as necessidades de seus ouvintes. Ele falou o que era essencial ao caráter humano. Ele deu conforto em hora de tristeza. Ele ensinou aos homens a rota para os céus.

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo: