ATÉ QUE TUDO ESTEJA LEVEDADO (Mateus 13.33)

Pregado em 16.07.1972


Não quero correr o risco de um colega que pregou nesta parábola em uma Assembleia da Convenção, que conseguiu muitas dores de cabeça por causa da interpretação que deu à Parábola do Senhor.

Lembro aos amados que uma Parábola tráz uma história com quadros diferentes, mas com uma lição espiritual primária, principal, saliente.


I – OS ELEMENTOS DA PARÁBOLA


1. O Reino dos Céus. A sociedade dos que amam a Deus, dos que decidiram seguir a Cristo.

2. Segundo, a mulher: aqui há uma pessoa em ação. Ela é representada como trabalhando.

3. A farinha e o fermento são parte de uma massa que, uma vez levedada, representa na mente de Cristo, o Reino de Deus. Podemos dizer que é a coluna larga da igreja. Jesus falou duas vezes em igreja, mais de uma centena de vezes no Reino, que abrange muito mais. Fermento é usado para ativar organismos. O fermento é ativo. Sua ação é catalisadora. Há vários tipos de fermento, mas todos com a mesma função ativadora. Observe-se que a mulher está em ação.


II – SÍMBOLOS DO FERMENTO

1. Fermento era comparado aos erros dos homens (Mateus 16.6), fermento dos fariseus.

O velho fermento da hipocrisia (1Coríntios 3.7).

2. Mas nesta passagem Jesus trás uma lição ou muitas lições pelo fermento. Anotemos pelo menos cinco coisas que o fermento faz:

a) Ele é uma força de fora para dentro.

b) Ele trabalha em silêncio.

C) Ele parte de uma partícula para afetar outras em cadeia e sucessão.

D) Ele é elástico e vai se tornando mais forte à proporção que vai se propagando.

E) Ele é como uma planta. A água molha a farinha, mas o fermento a faz crescer.


III – LIÇÕES DA PARÁBOLA NA ESCOLA DO REINO DE DEUS

“Até que tudo esteja levedado”.

Ver ainda Atos 2, para ilustração – unidade perfeita, a unanimidade dos membros da Igreja em Jerusalém (Mateus 13.33).

Três medidas de farinha: A medida do amor dos cristãos, a medida dos não cristãos, a medida da operação divina que é apropriada na proporção da entrega incondicional a Deus. A comparação é com o Reino dos Céus. Há uma relação no crescimento do Reino dos Céus entre o balanço das três forças citadas acima, em operação no meio dos homens.

A mulher representa a igreja. A igreja é agente de Deus no mundo. A homogeneização de uma massa implica na mistura dos seus elementos: Unidos, amassados, assados. Na Escola do Reino dos Céus, esses elementos são vitais e essenciais: Aglutinação, profissão de fé, cartas, declaração, agregados.

Homogeneização: A participação de cada elemento como é e com aquilo que sabe no contexto da atuação da igreja,

Sofrimento: O Senhor castiga ao que ama e corrige ao que toma como filho.

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo: