AMIGOS NO REINO DE CRISTO

No seio da família maior precisamos cultivar amigos. Todos precisamos de amigos, tendo em vista satisfazer o próprio anelo do coração. Certo prisioneiro descobriu numa aranha sua amiga, com a qual conversava. Jesus sentiu necessidade de amigos e falou bastante sobre isto. Na Bíblia encontramos um patrono das amizades verdadeiras, Jônatas, dado por Jeová: 1. Oficial de Saul e muito atraente - 1Samuel 13.3. 2. Combatente valoroso e vitorioso - 1Samuel 14.1. 3. Amigo de Davi disposto a morrer por ele – 1 Samuel capítulos 18-20. Jônatas foi um príncipe que, por amor a Davi, não procurou o reino. Vamos caracterizar sua amizade.

I - JÔNATAS, AMIGO DO FUGITIVO DAVI

1. Amigo desinteressado. Um príncipe e um pastor de ovelhas. Rico e mais velho que Davi. Amigo desinteressado é verdadeiro amigo. Os amigos do pródigo o deixaram à ultima hora. 2. Amigo fiel em todas as circunstâncias. Não aceitava os insultos feitos a Davi. Não acreditava nas calúnias. Quantos que se dizem amigos e desertam na hora da provação. Os discípulos de Jesus fugiram todos quando a hora difícil chegou. 1Samuel 23.15-17 - Um dos grande trechos da Bíblia: "Tu reinarás e eu serei contigo, o segundo"... Eu sou o príncipe, mas tu serás rei"... 3. Amigo que ajudava: Existem amigos de muitas palavras e poucas obras. No momento dramático da vida de Paulo, quando estava para enfrentar o suplício, escreveu: "Demas me desamparou, amando o presente século... Crescente foi para a Galácia... Tito para a Dalmácia. Jônatas não foi a lugar algum, senão para perto do amigo a quem desejava ajudar com risco de sua própria vida.

II - BASE DA GRANDE AMIZADE 1. Firmada na fé comum dos dois em Deus. "Chega-te aos bons e serás um deles; une-te aos maus e serás pior ainda do que eles". 2. A verdadeira amizade cristã faz crescer a virtude, a pureza, a honestidade e o serviço. Jesus passou a noite em oração, antes de escolher seus doze apóstolos. Boa norma para se firmar amizade com alguém que nos conheça, dentro do contexto de nossa fé e convicções. 3. A verdadeira amizade entre Davi e Jônatas não terminou com a morte de Jônatas. Em 2Samuel 9, temos a bondade de Davi para com o filho de Jônatas. Sua amizade não morreu com a morte do amigo. O verdadeiro amigo não morre pela distância, nem pela calamidade, nem pela morte (Provérbios 27.17).

III - O AMIGO QUE UNE OS AMIGOS NA IGREJA Jesus é chamado palavra. A palavra é expressão de idéia, pensamento. Palavra-Jesus é sabedoria. Há um oceano de sabedoria em Cristo. Não existe seminário que explique a profundeza do poder e Jesus. A moeda da Espanha tinha na estampa a representação dos dois pilares de Hércules, frente ao Colosso de Gibaltar, com a inscrição: Ne Plus Eltra, ou seja, nada mais além disto. Mas, Cristovão Colombo descobriu a América, dando à Espanha muito mais que sua moeda retratava. O Governo espanhol imediatamente recolheu as moedas e a fez circular, agora sem o 'NE", e podia-se ler: Plus Ultra, ou seja, Mais Além. Não é isto o que descobrimos pela intimidade com Jesus? Lemos no Salmo 25: "O segredo do Senhor é para aqueles que o temem". Na versão da Sociedade Bíblica do Brasil, lemos: "A intimidade do Senhor é para os que o temem"... Certo sacerdote da Idade Média saiu a visitar um dos seus paroquianos. Ao adentrar na humilde morada, deparou com o rei sentado à mesa, comendo com o fazendeiro. Ante a surpresa do clérigo, o rei adiantou-se em dizer: Não estranhe, por favor. Não é verdade que me assento à Mesa do Senhor com meu irmão? Por que não poderia visitá-lo e comermos juntos, como amigos? Jesus chamou os doze amigos: "Tenho vos chamados amigos... João 15.15. Ele nos desafia: "Vós sereis meus amigos se fizerdes o que vos mando" (15.14).

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo:

© 2018 Família David Gomes - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido e customizado por MTV Developer - RJ/Brasil

Créditos e Gratidão