O DEUS EM QUEM DEVEMOS CRER DOUTRINA EM: A VOZ DA ESCOLA BÍBLICA DO AR

Ano IV – Julho de 1955 – número 13
 

Salmo 104.1-5; 10.14; 24 3 33
O Salmo que estamos estudando hoje deveria ter o seguinte título: “Retrato do Deus em quem cria o Salmista” – anotemos seus característicos: é um Deus vestido de glória e de majestade (v. 1); é um Deus sábio em todas as suas obras (v. 2 em diante). O Deus em que o salmista cria era cheio de poder e digno de adoração; é um Deus fogo e um Deus bom. “A minha meditação a seu respeito será suave” (v. 34). O verso chave da narrativa do salmista se encontra nesta declaração: “Ó Senhor, quão variadas são as tuas obras! Todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra de suas riquezas”.


Observemos em seguida como em todas as declarações do salmista encontramos a lembrança de fatos ilustrados na História Bíblica. “Ele se cobre de luz, é o mesmo Deus que nos é revelado em Isaías capítulo seis, o mesmo Deus que é luz” na declaração do apóstolo João. O Deus do salmista pôs vigas na terra.


Lembra-nos a declaração de Jó a respeito dos limites do mar. É um Deus que anda sobre as asas do vento e os tornam seus mensageiros... Lembramos de Elias na cena de 1Rs 19, quando ouviu do Deus que lhe falara a voz mansa e delicada... Nos vales fazes arrebentar as nascentes... Lembramos a cena de Horeb, quando a rocha jorrou a água tão necessária e tão preciosa ao povo...


Observemos agora a declaração daquilo que nosso Deus pode fazer.


Ele pode criar e sustentar todas as coisas. 


Ele pode orientar os seres criados para seguir a sua orientação e supervisão. Mas...


Ele pode usar os anjos para seus mensageiros. E este é o ensino de Hebreus 1:7. Particularmente gostamos desta expressão: “Ele faz dos seus ministros um fogo abrasador”. A referência clara é os anjos, como espíritos ministradores. Mas não deixa de ser também uma advertência para todos quantos proclamam as verdades de Deus a uma geração corrompida.


Quem seríamos nós, pregadores da Palavra de Deus, se não fosse o seu poder atuando em nós e por meio de nós? Foi Deus quem fez todos os profetas de antanho homens de poder espiritual, gigantes espirituais que abalaram a geração em cujo meio viveram.


Nenhum evangelista ou pastor já cumpriu integralmente o recado e as vocações divinas à parte desse fogo que ele mesmo instila e mantém pelo Seu Divino Espírito atuando em nós. Quando Jesus chamou os primeiros discípulos disse: Vinde... e eu vos farei. E Ele os fez homens de poder. Pentecostes raiou em suas vidas e eles tiveram uma nova compreensão das coisas santas. Ó Deus como estamos precisando deste poder que é irresistível; imaculado, santo e ardente... Como precisamos deste poder que se manifesta através de alto e profundo amor...


Depois de assim pensar no seu Deus o salmista conclui por dizer: “Darei louvores ao meu Deus enquanto viver”. Que gloriosa divisa para o grande Deus! Dentre em pouco, centenas de milhares de cariocas estarão cantando louvores ao deus momo, gastando suas energias, arruinando a saúde e se afastando mais e mais de Deus. Amigos; meditai nesta conclusão do salmista: “Louvarei ao Senhor, - não a momo ou outra qualquer criatura, mas louvarei ao Deus sábio e amoroso, poderoso e justo – enquanto viver”... Amigo, o mesmo Deus que criou as maravilhas do universo pode criar em nós pelo seu Divino Espírito as ambições de uma vida santa e as conquistas de vidas consagradas. Seja assim em vossa experiência hoje.
 

Compartilhar
Twitar
Google+
Please reload

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo:

© 2018 Família David Gomes - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido e customizado por MTV Developer - RJ/Brasil

Créditos e Gratidão