O SINÉDRIO INTERROGA OS PRISIONEIROS (Atos 4)

20.10.1970

O movimento de revolta contra os apóstolos Pedro e João; foi instigado por forças do povo.

Temos hoje o Sinédrio que se reúne. Órgão máximo entre os judeus, o Sinédrio é aqui representado pelos seus membros:

Autoridades – corpo dirigente. Escribas – professores da Lei.

Sumo-sacerdotes – Caifás era o sumo-sacerdote, mas Anás seu sogro era mais velho e continuava no lugar, como honraria que o costume judeu permitia.

O Sinédrio era autoridade máxima entre os judeus. O próprio governo romano dava grande importância às decisões do Sinédrio. 71 membros, Sumo-sacerdote – ex-ofício.

Observemos que depois de terem prendido os dois apóstolos, é que o Sinédrio parou para perguntar por que tinham feito assim. Família dos sacerdotes incluía fariseus, que eram fanáticos pela lei e outros.

A RESPOSTA AO SINÉDRIO 1 – Pedro cheio do Espírito Santo – 2.4; 5.31. Jesus tinha dado promessas aos discípulos a respeito da sua ajuda em caso de necessidade – Mc 13.11; Lc 21.14-15. 2 – Pedro fala da necessidade de lembrar o que fizera. 3 – Pedro anuncia Jesus Cristo, a Pedra, o único Salvador, àquele que foi crucificado, mas ressuscitou.

REAÇÃO DO SINÉDRIO 1 – Estiveram com Jesus – v. 13. 2 – Vencidos pelo fato em si – v. 14. 3 – Ordenaram a saída dos demais, isto é, dos que estavam sendo julgados.

DISCUTINDO ENTRE SI 1 – Que faremos? – verso 16. Impossível negar um sinal, uma voz de autoridade. A maior necessidade de hoje, autoridade. 2 – Cometeremos uma injustiça consciente – v. 17. 3 – Recomendação impossível do silêncio.

CONCLUSÃO: A REAÇÃO DOS CONDENADOS 1 – Coragem maior ainda – v. 20,21, a coragem da autoridade. 2 – a força popular que reconhece a verdade de Deus.

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo:

© 2018 Família David Gomes - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido e customizado por MTV Developer - RJ/Brasil

Créditos e Gratidão