top of page

REAÇÕES DISFORMES DIANTE DA PALAVRA UNIFORME (Mateus 13.3-23)

Sermão pregado na Igreja Batista da Tijuca – Rio de Janeiro, hoje Primeira Igreja Batista no Andaraí, em 19.02.1950


José Henrique Rodó - 1871-1917 deixou escrito um pensamento interessante para começarmos na meditação em torno da Parábola do Filho Pródigo: "Enquanto a multidão passa, observe que ainda que ela não olha para o céu, o céu olha para ela"

Sim, o Salvador dos homens havia já começado há tempos o seu abençoado ministério. Havia ele dado as bem-aventuranças. Os princípios da ética para o trabalho do reino. Mas para muitos o ensino das bem-aventuranças havia perdido o valor. Haviam entrado num ouvido e saído por outro. Jesus falou em beatitudes antes de falar em similitudes. E a razão porque ele ensinou as similitudes não havia sido entendida. Quando eles viram seus milagres, pensaram que sua vinda ao mundo era para alimentá-los e curá-los. Suas ideias estavam sendo mal interpretadas, razão porque o Senhor achou por bem envolvê-las por meio da parábola, um ensino já popular entre judeus. Mas pensemos na história que Jesus contou.


I - NOTEMOS OS TIPOS AQUI DESCRITOS

1. Lá vai o lavrador e deixa cair algumas sementes que caem no terreno batido do trilho da lavoura. Mas se afasta o lavrador, descem as aves e comem as sementes. Na interpretação de Jesus aqui está o tipo de ouvinte cego, às realidades espirituais. Ouve a pregação. Gosta. Por vezes gosta do ambiente. Por vezes tem até conhecimento intelectual. Mas não toma a Palavra. Não recebe. Não assimila a verdade. Em Lucas 12.13 temos um exemplo desta natureza. Jesus pregava uma coisa, mas o homem estava pensando em outra muito diferente. É o retrato do homem indiferente. Insensibilizado. Neutro em matéria religiosa. É o problema daqueles que não pensam que tem problema.

2. Mas o semeador continua sua tarefa ingente de semear. E algumas sementes caem num terreno pedregoso. Lucas diz: "Sobre a rocha. Rocha coberta por pequena camada de terra. Germina, mas seca logo". Fogos de artifícios... tipo impulsivo. Ouve e gosta por isso professa aceitar... mas logo esfria. Temos aqui o homem leviano. Deseja agradar o pregador, ou os parentes crentes... vou aceitar, mas pensa no custo. Tem alegria, mas superficial... quando a atribulação vem, então está murcho e desapontado - Mateus 8.19-20; 9.37.

3. O semeador continua andando e lança as sementes numa terra boa, limpa, mas com sementes de espinhos em seu meio. É o homem de coração dobre - Tiago 1.8. Até aqui notamos tipos sacrifícios por circunstâncias externas. Agora um cujo mal vem de dentro.

1) Cuidados da vida.

2) Ambições de outras coisas.

3) Sedução das riquezas.

4) Deleites da vida.

Eles dão fruto, mas não dão com perfeição. Temos aqui um terreno favorável, mas infestado por forças estranhas. Por vezes a esposa, os filhos, a posição social, os amigos, a vaidade, o orgulho. "Se eu fosse um homem independente te seguiria" - Lucas 9.61-62.

4. O semeador lança sementes em bom terreno. O ouvinte perfeito. Este é o homem ideal. É o homem que só tem uma paixão, conhecer e fazer a vontade de Deus. Sua devoção é uma só.

Os característicos desses ouvintes:

1) Ouvem.

2) Entendem.

3) Guardam num coração reto e bom.

4) Frutos com perseverança... trinta... sessenta e cem por um.

Este homem aquele que está pronto a deixar tudo para que Jesus seja primeiro em sua vida. Maria era deste tipo. Barnabé o grande crente do passado. Este homem não somente diz o caminho, mas segue no caminho, exemplifica em sua vida, honra a Cristo e o Evangelho


II - QUE TIPO DE OUVINTE VOCÊ É?

Jesus repetiu várias vezes a mesma expressão. "Quem tem ouvidos para ouvir, ouça".

Comentarios


Se desejar, deixe o seu comentário abaixo:
bottom of page