PORQUE A FÉ VEM PELO OUVIR

Artigo publicado em 1989 - Jornal Notícias Escobar


A guerra é muito séria entre o material e o espiritual. Em fala presidencial recente, ouvimos alusão ao crime do capitalismo selvagem. Verdade inegável, nem sempre reconhecida no seu significado pleno. O mesmo apetite material pode ser sentido em todas as áreas da atividade humana. A fome material destroi padrões e abaixa o homem de modo deprimente. As poses para as chamadas revistas masculinas, firmam-se no despudor causado pela fome de dinheiro. A corrupção se espalha, firma-se no espaço ao material. Por último, as frustrações e rostos tristonhos firmam-se de modo igual na desilusão causada pelo desencanto de não se encontrar a felicidade pelas veias de conquista material. Tudo muda e se transforma quando entra a fé real e genuína no homem que crê nas provisões de Deus. A fé atua sempre de dentro para fora.

Dedicada obreira relatava há dias experiência da senhora que encontrou Jesus e fez do esposo que se embriagava e que a ameaçava, o ponto principal de suas orações. Ela temia pelo marido que não se alegrara com sua conversão e que lhe dissera para não tirar da parede os quadros de idolatria. Mas a senhora orava e seguia crendo. E aconteceu antes do tempo que esperava o maravilho milagre de Deus: "Esposa, vamos tirar estes ídolos da nossa casa. Vejo que sua nova fé tem feito você mais compreensiva e mais esforçada". E o marido parou de beber, entregando sua vida a Jesus Cristo como Salvador.

A fé não apenas remove montanhas. A fé em Jesus remove os pecados do coração. A fé em Jesus remove os pecados do caminho. A fé em Jesus remove o ódio e a irresponsabilidade. A fé em Jesus abre a mente para abrigar novos ideais e nova forma de servir.

Por mais de 40 anos vamos anunciado essa fé. E por mais de 40 anos seguimos a ouvir de outros feitos de Deus a nosso favor, nesta caminhada de fé e amor. São presidiários que se encontram com Deus. Alguns desses já estão no serviço de Deus em algum lugar. São enfermos dos hospitais que recebem a santa libertação no momento em que decidem aceitar Jesus. São lares que se reconstroem, esposa e esposo que se reencontram. É o amor que ressurge pelo toque da fé. Mais a fé tem feito maravilhas também no sentido material.

Durante minha Cruzada de Evangelização na Austrália, senti que estava perto do ponto crítico. Ainda que Secretário da Junta de Missões Nacionais da Convenção Batista Brasileira não retirei um centavo que fosse das ofertas da Missão como ajuda na viagem. Recebi dos irmãos da Austrália a passagem aérea e uma importância para as despesas pessoais.

E chegou a noite quando, antes de dormir, me ajoelhei e fiz mais ou menos a seguinte oração: "Senhor, sabes que meu dinheiro acabou. E não hei de mencionar aos líderes da Campanha esta minha necessidade. Eu preciso uma ajuda urgente de tua parte".

Estávamos na cidade de Geelong. Teríamos uma recepção naquela tarde e para lá me dirigi. Depois da confraternização, quando sai para o hotel, tive uma alegria especial. Era um senhor que depositava uma cédula de 5 dólares na minha mão quando agradecia pela minha visita. Antes de dormir disse a Deus: " Agradeço estes 5 dólares, mas preciso mais. Esta nota mal paga um corte de cabelo". Na manhã seguinte falei no programa de rádio da igreja e após o abençoado culto fui convidado para almoço com um fazendeiro que assistira na igreja.

Terminado o almoço o homem declarou sua alegria pela minha presença e pela bênção que recebera. Deu então 100 dólares com singela lembrança, disse. Eu tinha agora 105 dólares e poderia caminhar os vinte dias que tinha pela frente. Foi alegre agradecer a Deus de todo o coração. Sai para o último culto em Geelomg. Mal assumi o púlpito me entregaram uma carta com a seguinte mensagem: "Ouvimos hoje pela manhã sua mensagem pelo rádio. Deus nos falou ao coração. Em agradecimento enviamos estes 100 dólares para ajudá-lo". Deus não ouve apenas a oração e os pedidos, ele vai além do que pedimos (Efésios 3.20-21).

Falta, entretanto o término desta experiência. Durante a estada em Adelaide, Sul da Austrália, recebi um repórter da TV Australiana que procurava uma entrevista. Ele queria saber sobre o Brasil. Ao chegar em Sidney para a derradeira etapa da minha campanha, recebi um cheque da emissora como cachê da minha campanha no programa nacional de TV. Mas Deus não parou por aí. Depois de retornar ao Brasil e ao convívio da família, recebi 450 dólares. Este é o Deus que confirma nos corações a realidade de suas promessas. Este tem sido o caminho da Escola Bíblica do Ar nestes 40 anos. Leitor amigo, tome este espaço de tempo para adorar a Deus. Entre no caminho da fé e torne-se ao nosso lado um dos propagadores do amor e perdão pelas ondas da Escola Bíblica do Ar.

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo: