FRUTOS DIGNOS DE ARREPENDIMENTO (Mateus 3.7-9)

Falava o mais interessante e diferente de todos os pregadores. João Batista anunciava a salvação em Cristo e pregava o arrependimento. Muitos dos prosélitos, oriundos dos gentios eram batizados. Houve um movimento de massa. Fariseus e Saduceus começaram a vir em massa para a cerimônia. João Batista queria precisar os termos. Não podia haver batismo sem que houvesse arrependimento.

Os fariseus eram separatistas. Quando da volta do cativeiro da Babilônia se organizaram para marcar sua própria estrutura e presença. Não queriam se misturar. Mais tarde ressentiam de se unir a membros da mesma raça. Jesus os qualifica como sepulcros caiados. Saduceus os racionalistas. Não criam em anjos nem em ressurreição. Tais pensamentos estavam na vida dos seus componentes, daí a reação de João Batista contra a suposta conversão em massa.


I - FRUTOS DIGNOS DE ARREPENDIMENTO

Condição de João Batista aos novos pretendentes:

1. Não se pedia decisão de buscar a Deus para fugir à ira de Deus. A salvação cristã não visa apenas fuga do castigo. Deus não deseja homens que procurem apenas escapar das penas eternas.

2. O homem no seu pecado está sob a ira de Deus (João 3.36).

3. Ser filho de Abraão não era uma preocupação legítima. Diz uma legenda que Abraão estava à entrada do inferno e dizia a todos que chegavam à porta: Filho de Abraão, ou seja, israelitas não descem ao inferno.

4. Aqueles Fariseus e Saduceus foram chamados víboras, cobras venenosas.

5. João queria evitar falsas conversões: tradições, emoções, etc.


II – NECESSIDADE UNIVERSAL DE ARREPENDIMENTO

Que é arrependimento? Perguntou o professor de juniores... É ficar triste de tal forma pelo pecado que o abandonemos. Arrependimento é literalmente mudança de rumo e de mente.

1. Arrependimento precisa ter sua sede na vontade. O homem precisa querer no arrependimento.

2. O arrependimento precisa ser expresso na vida. O arrependimento leva o homem a fitar a luz que há em Jesus. O fruto do arrependimento se desenvolve em cultivo constante.

3. O arrependimento anula a ira de Deus sobre o homem. Traz-lhe o perdão e alegria perfeita.


III – EXEMPLOS PERFEITOS DE ARREPENDIMENTO


Um dos celebrados autores de hinos era caloteiro. Depois de se converter comprou m cavalo e saiu à casa de todos os lesados indenizando-os. Na Bíblia temos alguns exemplos notáveis de arrependimento.


1. O arrependimento de um dos filhos (Mateus 21.29-30).

2. O arrependimento do filho pródigo e sua volta a casa do pai (Lucas 15).

3. O exemplo do próprio apóstolo Paulo ((Atos 26.20).

Velho rebelde estava na agonia que precede à morte. Seu sofrimento era grande e um dos pastores da vizinhança foi convidado a ajudá-lo. Sem poder realizar seu trabalho pela perturbação do moribundo, o pastor indagou a um dos jovens, também não crente mais presente no quarto: “Sabes o que está acontecendo jovem”? “Sei pastor, é o gemido de quem morre”... ”E mais que isto, moço, este é o gemido de que não está preparado para o encontro com Deus. Já estás preparado, meu jovem”? Naquela noite o rapaz teve seu encontro com Jesus.

D. L. Moody (1837-1899) dizia: Arrependimento inclui tudo. Arrepender é mudar sua maneira de pensar em relação ao pecado e a Jesus. A causa do arrependimento para em Jesus.

Um termômetro não é mudado por ele mesmo, mas por condições externas. Assim no inverso. Quando a alma é mudada o homem é mudado. Arrependimento não é tristeza pelo pecado apenas. Faraó estava triste ante cada praga e pior depois de cada uma delas. Não são lágrimas de arrependimento que nos justificam, mas o sangue de Jesus sobre tais lágrimas que as purificam.

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo: