COMO A BÍBLIA CHEGOU ATÉ NÓS? (2Pedro 1)

Sermão pregado na Igreja Batista da Tijuca, hoje Primeira Igreja Batista no Andaraí, em 12.12.1953


Há maneiras diversas de responder a essa pergunta. Para Timóteo, sua Bíblia veio da mãe Eunice e, possivelmente, da avó Lóide. Mas para alguns dos meus leitores talvez tenha vindo de uma namorada, ou noiva ou esposa. Não é isto, entretanto, que nos deve impressionar primeiramente hoje.


I - O PREPARO DA BÍBLIA

1. Para o homem, muitos autores; para nós um autor. Há coisas que acontecem por acaso. Mas a Bíblia não foi escrita por acaso. Pedro diz aqui que nenhuma profecia foi escrita por mera vontade de homens. Foi uma obra encomendada.

Nossa Bíblia tem dez sessões distintas. Cinco em cada testamento. A divisão nessas sessões é humana, mas a mensagem toda é divina. No Pentateuco temos as origens, nos Históricos os altos e baixos na conduta do povo; nos Reis a descrição do reino, nos Poéticos o retrato da alma hebraica e nos Proféticos a misericórdia de Deus e a esperança do Messias.

2. Além do planejamento houve escolha de autores. Cerca de 40 autores redigiram a Bíblia. Talvez Moisés ao inventar o alfabeto do deserto de Midiã ou pelo menos ao aprender a escrever, não tivesse pensado em escrever a História do mundo, mas inspirado pelo Espírito Santo de Deus pôs-se à obra.

3. Além do plano e planejamento para a produção eu creio que Deus mesmo guiou para a sua preservação. A princípio, papiros selecionados; depois pergaminhos ou peles curtidas. E o cenário nos convida a meditar nas peles selecionadas de animais médios, sem defeito para que se tornassem pergaminho. Diz-se que os copistas sagrados lavavam a pena cada vez que iam copiar a Palavra de Deus e liam o original em voz alta antes de copiarem.

4. E assim foi-se formando a Biblioteca divina. Ela começa a contar a história de um casal e passa a falar de um povo. Volta a apresentar esse povo dividido e subdividido, para tornar ao individuo, Cristo Jesus, razão de ser da vida e esperança dos crentes.


II - A BÍBLIA QUE JESUS POSSUÍA

1. Nós não sabemos se Maria e José possuíam uma Bíblia. Mas sabemos que na sinagoga Jesus era convidado a ler no rolo. E ao tomar o rolo em suas mãos ele o manejava facilmente. A Bíblia mais comum nos dias de Jesus era a Septuaginta. A Septuaginta faz parte da vida da Bíblia a nós. PitolomeuFiladelfo, por sugestão de Demétrius, seu bibliotecário, teria sugerido que se fizesse uma versão da Bíblia para os gregos do império. Envia dádivas custosas ao sacerdote Eliazar e pede cinco membros de cada tribo para proceder à versão. Esses 72 em grupos de dois e em celas separadas traduziram o Velho Testamento em 72 dias e quando foram conferir viram que eram exatamente a mesma versão.

2. A Bíblia em que Jesus aprendia a vontade do Pai era um pesado volume, ou melhor, um rolo ou vários rolos contendo caracteres escritos à mão a mensagem de Deus para os homens.Quem selecionou nós não sabemos, mas sabemos que foram selecionados por alguém maior do que nós.

3. Esta Bíblia do tempo de Jesus foi sendo acrescida pouco a pouco até atingir os 66 livros. Aí o Espírito Santo de Deus foi ajuntando os livros que foram sendo reconhecidos pelo coro dos fiéis como inspirados por Deus.


III - A BÍBLIA NA IDADE MÉDIA

Ninguém podia comprar uma Bíblia naqueles tempos, a não ser quem possuísse muito dinheiro e a Bíblia foi se tornando um livro proibido ao povo. Muitos que gostariam, de ler as palavras de vida não encontravam uma palavra. Veio o dia da Reforma e a Bíblia foi solta... Willian Trindale - 1484-1536; John Wicliffe - 1328-1384; Martinho Lutero - 1483-1546, etc.


IV - NOSSA BÍBLIA

1. D. Leonor de Lencastre - 1458-1525 - esposa de D.João II - 1455-1495 senhora piedosa, mandou imprimir uma tradução da vida de Cristo, uma espécie de harmonia dos Evangelhos. Mais tarde, isto em 1505, essa senhora mandou imprimir Atos e as epistolas, alguma para a tradução King James.

2. João Ferreira de Almeida - 1628-1691 -, ninguém sabe como ela apareceu em 1641 na Batávia, onde nasceu a nossa Bíblia. Era este um protestante que tinha paixão pela tradução das Escrituras. Aos 15 anos já havia traduzido para o português um folheto sobre a diferença da cristandade verdadeira da igreja romana. Aos 16 anos traduziu todo o Novo Testamento para o português valendo-se da versão de Beza, italiana. Daí passou a estudar Grego e Holandês para iniciar então a tradução da Bíblia. Só traduziu o Velho Testamento até Ezequiel 48.21.

3. Quase um século mais tarde foi que se começou a traduzir a Bíblia vulgata por Antonio Pereira de Figueiredo. Há 1.200 anos "Bede" ditava as últimas palavras do Evangelho de João. Morria, mas faltava um capítulo .Descanse, mestre. Não, prossigamos. Após a última palavra. Pronto, mestre. "Bede" virou-se e morreu.

Este verso de Pedro nos ensina três verdade:

1. Nenhum homem pode de si mesmo escrever a Bíblia.

2. Nenhum homem pode de si mesmo compreender a Bíblia.

3. Deus e o homem trabalham juntos para a execução do maior livro de todos ,os séculos.

Lideumpombo-correioquesetornouherói que se tornou herói porque durante a guerra entregou a mensagem ao dono depois de ter perdido uma vista. Mas Constantin Von Tischendorf - 1815-1874 fez isto também. A Bíblia precisa ser vista com olhos espirituais. Dr. Guy Gordon Hurlbutt - 1942, diz que antes de converter, a Bíblia era um livro de obscuridade; depois de convertido, um livro de luz.

A Bíblia é um mundo com dois hemisférios, uma história com duas partes.

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo: