ASER E NAFTALI (Gênesis 49.20-21)

Veremos ligeiramente as bênçãos invocadas por Jacó sobre estes dois patriarcas.


I - A TRIBO DE ASER E SUA BÊNÇÃO

Não temos muita coisa sobre esta tribo, mas muito que pode ser sugerido pelas referências que temos às mesmas.

1. Aser, feliz, aquele que é feliz. Era filho de uma serva, Zilpa, mas, ninguém nas com um destino que não possa ser mudado. E a felicidade não consiste naquilo que o homem possui, senão naquilo que ele é.

2. Gênesis 46.17 nos apresenta o nome de seus quatro filhos, bem como o de sua filha. Em Deuteronômio 33.24-25 temos uma declaração de Moisés que alguns ligam à família de Aser: “Bendito seja Aser com seus filhos... os dias da tua velhice sejam como os da tua mocidade”. O Salmo 126 verso 3 .parece confirmar a declaração feita aqui. “Eis que os filhos são herança do Senhor e o fruto do ventre o seu galardão”. “Bendito Aser entre os seus filhos”... A felicidade de Aser começou num lar feliz. É muito interessante notar como a Bíblia coloca ênfase às gerações dos homens. É a importância suprema que Deus dá aos filhos... Seus filhos levarão avante a suas obras. Aser era feliz no o meio de seus filhos.

3. Mas Aser devia ser feliz igualmente em possessões materiais. A localização da tribo era excelente. Ficaram na Costa, perto da planície de Esdraelon (Vale de Jizreel). Ali estavam grandes riquezas de um território de leite e mel. Daí haver Moisés dito: “Banhe no azeite o seu pé”... (Deuteronômio 33.24). “Seu pão será abundante, e ele dará delicias reais” (Gênesis 49.20).

4. Ao mesmo tempo, Moisés nos acrescenta: “Ferro e metal será o teu calçado” (Deuteronômio 33.25). Que quer isso dizer? Que não obstante sua felicidade e a fartura do seu território, muitos seriam os seus inimigos. A palavra traduzida por “calçado” poderia ser “defesa”. A palavra dá ao mesmo tempo ideia daquele que está cuidado de algo precioso para defender contra o ataque de inimigo. Notai, no entanto, que sua força seria mantida assim na velhice quanto na juventude.


II – A TRIBO DE NAFTALI E SUA BÊNÇÃO

1. O nome Naftali significa “lutador”, Era filho de Bilá, escrava de Raquel. Casou-se, e Gênesis 46.24 nos apresenta os seus quatro filhos. A tribo chegou a ter 53.400 homens de guerra.

2. Sua terra foi das mais férteis de Canaã. Em seus termos se encontravam Corazim, Cafarnaum e Tiberiades. Na bênção de Jacó temos duas afirmações. Primeira: Nafatali é um cervo solto. (Talvez o sentido seja o de que Naftali seria um guerreiro ágil e livre). A segunda afirmação é de que de Naftali sairiam belas palavras. Alguns veem aqui uma alusão à eloquência que haveria de ser demonstrada por essa tribo. Basta olharmos para as palavras de Débora, a profetiza, e teremos uma ideia da capacidade literária de, ao menos um dos membros dessa tribo, pois era de Naftali. Débora era efraimita, mas ao menos foi ajudada por alguém de Naftali.

3. E de Naftali disse: “Farta-te, Naftali, da benevolência, e enche-te da bênção do Senhor e possui o Ocidente e o meio-dia”. É mais uma vez a prova da graça de Deus oferecida aos seus queridos.


III – NAFTALI PROFERIRÁ BOAS PALAVRAS, PALAVRAS FORMOSAS

1. Consideremos algumas mensagens que ilustram o poder da palavra: “Quão fortes são as palavras da boa razão” (Jó 6.25). “O ouvido prova as palavras como o paladar às comidas” (Jó 12.11). Ainda em Jó, Deus profere as palavras contidas em Jó 38.2: “Quem é este que escurece o conselho com palavras sem entendimento”?

2. “A Palavra dita a seu tempo quão boa é” (Provérbios 15.23). “Como maçãs de ouro em salva de prata assim é a palavra dita a seu tempo” (Provérbios 25.11).

3. Jesus avisa que: “Por toda palavra ociosa que for dita neste mundo darão contas os homens a Deus” (Mateus 12,36).

4. Paulo afirma que “o reino de Deus não consiste em palavras, mas em virtude” (1Corintios 4.20).

5. Finalmente, aqui está o testemunho dos discípulos de Deus a respeito de Jesus: “Ele era poderoso em palavras em boas obras” (Lucas 24.19).

Que contraste às palavras de 2Timóteo 2.17, onde Paulo ilustra com Himeneu e Fileto, “aqueles cujas palavras ferem como gangrena”. Em Nafatali temos exemplo daquele que havia de proferir boas palavras. Sigamos-lhe o exemplo.


Se desejar, deixe o seu comentário abaixo: