A PARÁBOLA DA VINHA CONFORME ISAIAS (Isaias 5.1-7)

O povo judeu foi representado como vinha, plantada e cultivada por Deus (Salmo 80; Jeremias 2.21; 12.10). Jesus usou a figura da vinha para demonstrar o cuidado de Deus com seu povo (Mateus 21.33; Marcos 12.1).


I – O CUIDADO DO VINHANTEIRO CELESTE

1. Plantou-a num outeiro fértil. “Eis que era tudo bom”. Para Israel, Deus preparou a “terra que mana leite e mel” (Êxodo 3.8).

2. Cercou a vinha, símbolo da proteção.

3. Limpou a vinha, símbolo da purificação, santificação.

4. Plantou ali vides escolhidas, as melhores espécies.

5. Colocou a torre no meio, proteção constante.

O cuidado de Deus para conosco. As belas manhãs, a verde expressão de descanso das matas. A fartura dos ricos, a grandeza da terra. Alguns interpretam os cuidados de Deus de modo piedoso: O povo de Deus cercado de anjos protetores. O ajuntar das pedras como a remoção dos ídolos ou falsos deuses. A torre para simbolizar o templo no centro.


II – AS ESPERANÇAS DE DEUS CONTIDAS NA VINHA

1. A esperança de Deus na primeira vinha, ou seja, o homem criado à sua imagem e semelhança:

a) Que o homem dominasse

b) Que o homem se alegrasse no que recebeu e se esforçasse por agradar a Deus.

2. A esperança de Deus na segunda vinha, ou seja, o povo judeu. “Os judeus o rejeitaram, escolhendo outro rei”. Quais os frutos colhidos por Deus? Ingratidão, animosidade, guerra...

3. A realidade da ingratidão no meio dos homens e no seio da sociedade que nos abriga.


III – LIÇÕES DA PARÁBOLA PARA OS DIAS QUE CORREM

1. Primeiramente os que são crentes em Jesus. Temo que milhões de brasileiros não conseguiram, ou seja, “paz e perdão”.

2. Como residentes no Rio de Janeiro, temos confortos que outros não têm.

3. A igreja é a terceira vinha. Que estaremos nós dando de volta a Deus como igreja? A parábola em relação àqueles que ainda não decidiram dar sua vida a Deus, pela aceitação a Jesus Cristo como Salvador, o amor de Deus se manifestou. Deus continua de mãos estendidas. Há lugar ao pé da cruz para o teu coração.


IV – OS CASTIGOS DE DEUS FACE À INGRATIDÃO

1. Tirarei a sua sebe... (Isaias 5.5). Um ouvinte do programa “telefone do amor” fez interessante pergunta: “O senhor fala sobre a graça de Deus e quero saber: por que a graça de Deus existe? Se eu morrer hoje, terei a graça de Deus?... A Bíblia diz sempre: “Hoje é o dia da salvação”... (2Corintios 6.1-2). “Buscai ao Senhor enquanto se pode achar”... (Isaias 55.6-7)

2. Derribarei a sua parede... (Isaias 5.5). Proteção de Deus é dada a outrem... “O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem e os livra”... (Isaias 34.7). Não ao redor de qualquer incrédulo.

3. A tornarei em deserto inútil e terrível. Não há esperança para o incrédulo: “Os ímpios serão lançados no inferno e todas as suas gentes que se esquecem de Deus” (Salmo 9.17-18).

4. Crescerá nela sarças e espinheiros... (Isaias 5.6).

A tragédia da sífilis para os imorais, a dor das rixas e brigas mal entendidas.

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo: