A GLÓRIA DA MORTE DO GRÃO DE TRIGO (João 12.24)

Sermão proferido em 02.08.1953

"Dai-nos cada dia nosso pão" eis uma expressão que corre pelos lábios dos povos da terra diariamente. É o milagre do trigo. Em todo o mundo Deus colocou celeiros para o trigo. Nações são julgadas em sua importância e poderio pelo petróleo e trigo que possuem.

1. O trigo é rico em proteínas.

2. O trigo é fácil de ser guardado e de ser enviado a lugares distantes.

3. O trigo é tão precioso e de muito valor nutritivo para alimentar muitas pessoas.

4. O trigo se adapta facilmente a circunstâncias climáticas, havendo uma infinidade de tipos adaptáveis a diferentes partes do mundo.

A procurar a ilustração da vida verdadeira, Jesus se lembrou do grão de trigo. A vida que precisa morrer não é a vida daquilo que é inútil, mas daquilo que encerre valores e benefícios incalculáveis. E se há vitória na morte daquilo que é valoroso quanto mais valor advirá pela morte que destrói e desfaz.

I - GLÓRIA DO GRÃO DE TRIGO SE INICIA EM SUA MORTE

1. Há muitos anos um sapateiro inglês se impressionou com as condições religiosas do mundo. Vivia muito bem em seu país, participando da religião de Cristo e ouvindo sermões, até que um dia levantou e pensou na possibilidade de sair em busca dos pagãos perdidos. Quando aquele sapateiro falou do seu propósito aos seus maiores amigos, eles creram que ele estivesse ficando louco. Mas não, era o grão de trigo que estava morrendo e por causa de sua morte os movimentos missionários começaram a se multiplicar no mundo.

2. No Norte do Brasil uma jovem franzina afeita aos cuidados do lar ouviu de um jovem crente algumas das suas experiências entre, os brasileiros. A chama do ideal missionário daquele jovem iniciou a obra gigantesca que hoje chamamos de Missões Nacionais.

3. Dizem alguns comentaristas que naqueles gregos se encontrava uma porta de escape ao sofrimento, mas Jesus soube ver além de seu prazer imediato, além de seu próprio proveito: Ele viu o fruto de seu trabalho e se entregou para consegui-lo, e em sua morte realizou o sonho de Deus para toda a humanidade.

II - MORTE DO GRÃO DE TRIGO PRODUZ RESULTADOS DIVERSOS, MAS SEMPRE MARAVILHOSOS EM SUA OPERAÇÃO

1. Um grão morre e sua morte produz pão, outro morre e produz biscoito, outro morre e sua morte produz alguns pratos apetitosos sob a orientação de algumas eximias cozinheiras.

William Carey (1761-1834) morreu como o missionário iniciador, mas Florence Nightingale (1820-1910) preferiu os campos sangrentos da guerra da Criméia para manter acesa sua lâmpada e trazer fé e coragem aos corações.

2. A morte se executa em esferas diferentes, mas seu resultado é sempre um hino de glória para o nome de nosso Deus.

3. Uns precisam morrer para seu orgulho... outros precisam morrer para seus vícios... outros ainda precisam morrer para um gênio incontrolável... Outros para um desânimo contagioso. Mas em qualquer esfera dessa morte trará um resultado salutar, trará a satisfação íntima e o sossego de espírito para o coração atribulado.

4. Jesus ilustrou a morte do grão de trigo no aborrecimento à vida como ganho da vida.

O mundo moderno é o mundo de homens que vivem atrás de coisas. O idealismo vai morrendo. Idealistas são considerados como maníacos, mas o materialismo embrutece e aniquila. É por isso que quando os homens pediram pão, Jesus lhes falou do pão do céu, porque o espírito não tem limites ao seu desenvolvimento.

III - OLHEMOS JESUS COMO O SÍMBOLO DO PRINCÍPIO EXARADO

1. Suponhamos que Jesus tivesse fugido ao caminho espinhoso da cruz e tivesse ido para a Grécia. Sua história teria terminado ali. Mas Jesus não foi. Resistiu à dor, à agonia do Getsemani em absoluta dependência de Deus.

2. Pilatos teve oportunidade de seguir a Jesus. Mas não o seguiu. Qual o seu fim? Dizem que morreu louco nas montanhas a pedir água para lavar as mãos. Outros dizem que esqueceu inteiramente de Jesus e não mais se lembrava que o houvesse julgado. Outros acham que morreu na Espanha, convertido. Mas ninguém sabe ao certo o seu fim. Por que? Porque Pilatos quis seguir o caminho mais difícil. Ele quis a glória segundo o mundo. Muitos, diz João, criam em Jesus e o seguiam, mas tinham receio em segui-lo e de serem criticados pelos homens. Que sabemos deles? Nem ao menos o nome.

3. Jesus sofreu o martírio, mas ao terceiro dia ressurgiu e ele se levantou para não morrer nunca mais. Jesus é o único Salvador.

O apóstolo Paulo insiste em que o crente morre para o mundo e vive para Deus. Quem hoje gostaria de viver para Deus? Pois então terá que morrer para o mundo.

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo:

© 2018 Família David Gomes - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido e customizado por MTV Developer - RJ/Brasil

Créditos e Gratidão