URGÊNCIA PARA O HOMEM RECEBER A SALVAÇÃO (2 Coríntios 5.14; 6.2)

Sermão pregado em 06.08.1989

Deus insiste na salvação do homem. O profeta advertia o povo: "Buscai ao Senhor enquanto se pode achar" (Isaias 55. 6)

O autor de Aos Hebreus proclama: "Como escaparemos nós se não atentarmos para uma tão grande salvação" (Hebreus 2.3)

Lucas narra a volta do filho pródigo (Lucas 15.11-32) e pela primeira vez Deus é retratado como a correr ao encontro do pecador que resolveu atender o chamado de volta. Nosso texto fala desta chamada com argumentação perfeita como veremos a seguir.

I - PROPOSIÇÕES INEGÁVEIS

1. O homem está separado de Deus por causa do pecado.

2. Deus se propôs a convocar o homem para uma reconciliação e o fez por Jesus Cristo.

3. Cristo Jesus é substituto do homem que recebe a prova do seu amor.

4. O preço pago por Cristo para tornar possível a reconciliação foi seu próprio sangue derramado , ou seja, sua própria vida.

5. Estas verdades estão inseridas neste texto de Coríntios, quando Paulo estuda o fenômeno do homem perdido e sem salvação.

II - O APELO DO APÓSTOLO PAULO AOS PECADORES

Paulo foi um dos maiores perseguidores do cristianismo. Ele perseguiu a igreja de Deus. Ele apoiou o movimento para matar os crentes. Ele consentiu na morte do primeiro mártir, Estevão. Sua capa foi colocada aos pés de Paulo. Mas agora o apóstolo que experimentou a salvação faz o apelo aos pecadores.

1. Constrangido pelo amor de Deus. Antes ele não conhecia Cristo como seu salvador.

2. A morte de Cristo torna altruísta aquele que o recebe. Cristo era homem para Paulo. Após a conversão, passou a ser Senhor e Cristo.

3. Nova criatura e nova criação pela fé.

III - OS APELOS QUE SOAM

1. O embaixador que pede, que insiste. O embaixador representa seu país em corte estranha. Os crentes representam as verdades do céu no mundo de pecados, anunciando a libertação em Cristo.

2. O apelo é feito em nome de Cristo, como se o próprio Cristo o fizesse.

3. O apelo visa este momento - Deus em Cristo.

Duas passagens que ilustram a substituição: João 11.49 - Caifás não pensava na morte de Cristo pelo pecado. Ele cria que a morte de Cristo ameaçaria o domínio romano, pois que a atuação de Jesus, segundo Caifás, atingia a multidão nos seus sentimentos.

Caifás, o sumo sacerdote naquele ano, disse: “Vocês não sabem o que estão dizendo! Não percebem que é melhor para vocês que um homem morra pelo povo em vez de a nação inteira ser destruída?”.Não disse isso por si mesmo, mas, sendo o sumo sacerdote naquele ano, profetizou que Jesus morreria pela nação inteira. E não apenas por aquela nação, mas para reunir em um só corpo todos os filhos de Deus espalhados ao redor do mundo. Daquele dia em diante, começaram a tramar a morte de Jesus. João 11:49-53

A passagem de Isaias 43.3-4 coloca o Egito como substituto de Israel no momento de provação.

Pois eu sou o Senhor, seu Deus, o Santo de Israel, seu Salvador. Dei o Egito como resgate por sua liberdade; em troca de você, dei a Etiópia e Sebá. Outros foram entregues em seu lugar, troquei a vida deles pela sua. Pois você é precioso para mim, é honrado e eu o amo.Isaías 43:3,4

IV - PERIGO DE SE REJEITAR OS APELOS DA GRAÇA

A graça consegue o perdão mediante a fé. Paulo sabia de tantos que tinham adiado o dia da salvação; Festo e Drusila, por exemplo. O tempo da salvação como sendo presente hoje, agora neste momento. A graça de Deus oferecida aos Coríntios era desafio no mundo pagão.

1. Incerteza da vida.

2. Impossibilidade de se mudar o que for trágico.

3. Oportunidade oferecida por Deus num gesto de amor.

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo:

© 2018 Família David Gomes - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido e customizado por MTV Developer - RJ/Brasil

Créditos e Gratidão