A BIBLIA E OS OPERÁRIOS (Eclesiastes 5.12-15)

Talvez nosso assunto seja grande demais para esta hora pelo que nos esforçaremos para lançar algumas ideias que possam ser meditadas pelos irmãos e amigos.


I - A BIBLIA EXALTA O QUE TRABALHA
Deus está sempre ao lado de quem trabalha. Sempre escolheu homens ocupados: Jocó, Moisés, Isaias, Amós, Paulo, Pedro, todos foram homens ocupados. Deus gosta daqueles que tem as mãos cheias.
Por outro lado, Deus condena a preguiça (Provérbios 6.10; 10.26; 13.4; 20.4. Em Eclesiastes 4.5-6 .o preguiçoso é chamado de tolo. O apóstolo Paulo condena a preguiça de modo até violento (2Tessalonicenses 3.10). A maior prova de exaltação ao trabalho está no exemplo de Cristo, o carpinteiro, e no Deus que sempre trabalha.


II - DEUS EXALTA A JUSTIÇA NO TRABALHO
1. Justiça de relações entre empregados e em relações a empregadores. Deus condena o lucro absurdo e condena o ganho desigual.
Uma das causas das injustiças sociais se encontra no fato de que nem sempre causas são analisadas. Exemplo: Pintando uma janela disse à minha esposa: "Se alguém pensar no quanto de trabalho dá para pintar uma janela e no quanto de tinta se gasta na operação, não reclamará tanto um preço (Provérbios 15.27).
Mas a coisa tem dois lados. Fala-se no grande lucro sem se levar em conta o grande capital. Em Miquéias 6.8 Deus legisla para uns e outros.

III - O TRABALHO QUE EXALTA A DEUS
1. É o trabalho destituído de cobiça. João Batista fala contra o pedido indevido de novos soldados (Lucas 3.11-14). Paulo nos fala daquilo que devemos anelar (1Timóteo 6.7-8).
2. É o trabalho que se inicia com o Reino (Mateus 6.33). Vivemos por fé. Cristo deseja nossa fé.
3. É o trabalho diligente (Provérbios 22.29).

IV - SALÁRIOS DE DEUS
David Livingstone em seis meses sofreu 27 ataques de febre. Ainda assim seu moto era: Teme a Deus e trabalha muito.
Robert G. Le Tourneau é hoje um homem famoso pela sua generosidade. Quando lhe perguntara sobre o melhor tempo para se começar a trabalhar, respondeu: "Aos três anos". E conta uma experiência. Aos quatorze anos ouviu do seu patrão o seguinte: "Robert, não quero que meus homens trabalhem demais, quero que trabalhem ligeiro". E diz-nos ele que segue na linha, dentro do espírito de Provérbios 4.23.
Aos79 anos, William Booth escreveu: "Não sou velho, tenho 79 anos, mas me sinto jovem. Ainda há muito tempo para sair e pescar homens, buscando suas almas para Deus, como tenho feito através dos anos, usando a mesma rede. Quando a cegueira o acometeu, arranjaram-lhe um sofá onde pudesse descansar durante o dia. De certa feita, sua filha Eva chegou e o encontrou chorando. Por que chora papai? Porque lá fora há mulheres e crianças sofrendo e chorando e não posso ir ajudá-los... Quando ouviu de seu médico que ficaria cego, respondeu a seu filho Browell: "Meu filho, até aqui tenho procurado servir a Deus com meus olhos; daqui por diante hei de servi-lo sem eles.
Perguntaram a um operário revoltado o quanto ganhava e ele respondeu: "Muito serviço e pouco maldito dinheiro".
Perguntaram a João Wesley o que recebia por suas 18 horas de serviço diário e ele respondeu: "Tudo, graças a Deus: Alegria, força, inspiração e galardão".


Deus tem um salário para cada homem. Qual será o nosso?
 

Compartilhar
Twitar
Google+
Please reload

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo:

© 2018 Família David Gomes - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido e customizado por MTV Developer - RJ/Brasil

Créditos e Gratidão