MENSAGENS QUE VÊM DO VALE DOS OSSOS SECOS - Ezequiel 37

O capítulo 37 de Ezequiel traz uma mensagem aos corações sofredores dos israelitas em cativeiro. Vamos estudá-lo ligeiramente, observando: 1. A causa dos ossos terem se secado; 2. A esperança de renovação; 3. Os agentes dessa transformação.


I – Causa dos ossos se haverem secado – o pecado. 
Poderíamos simplificar toda a discussão do primeiro ponto de nossa meditação de hoje por dizer: A causa da sequidão dos ossos foi o pecado. Sim, o pecado do qual dizia Davi no Salmo 32.3: “Enquanto eu me calei envelheceram os meus ossos”.
Notemos a evolução e os estragos do pecado para com a misericórdia divina na vida de Israel. Depois de sofrerem nas mãos de Faraó, os israelitas conheceram o livramento do Senhor... e sob as ordens de Moisés penetraram na terra, depois de variadas peregrinações pelo deserto, por quarenta anos...
Dirigidos por Deus entraram na terra e lutaram contra os Anequins e os mais terríveis gigantes. Enfrentaram a posição segura dos inimigos.Juízes foram providos por Deus até que depois de Samuel o povo chega ao ponto de dirigir seus próprios destinos políticos: Saul...David...Salomão...
Em Salomão cumpriu-se o propósito de Deus, quando disse por intermédio de Moisés no Livro de Deuteronômio: 17.14-20. 
“ E Israel se engrandeceu e tornou-se uma potência diante de todas as nações... Mas Salomão seguiu as ideias pagãs de suas esposas...e o culto começou a sofrer até que o povo foi levado em cativeiro...E agora, levado cativo...Israel estiola...chora. Era a dor do pecado...era a morte do pecado...”
O verso 14 deste capítulo nos aponta esta verdade. O pecado havia aniquilado Israel, que agora clamava:  “Levantou-se, pois, toda a congregação e gritou em alta voz. E o povo chorou naquela noite. Todos os filhos de Israel murmuraram contra Moisés e toda a congregação lhes disse: Tomara tivéssemos morrido na terra do Egito ou mesmo nesse deserto!”
Quantos escravos o pecado tem feito.
O SALMO 137 descreve o estado da dor.

 

II – Viverão esses ossos?
Quantas vezes uma família reunida, tendo ao lado o médico, olha ansiosa para ele e pergunta: viverá? O médico vacila...hesita...e por fim diz: Talvez... 
Outras vezes é o desespero que desalenta os corações e todas as esperanças são sepultadas inteiramente.
Imagine agora o profeta diante de um vale cheio de ossos inteiramente secos. Possivelmente em sua mente já houvesse estado pensando assim: 
E Deus lhe pergunta: Viverão? – Tu sabes, Senhor. Sim, eu de nada sei, mas tudo sabes...todas as coisas.
Durante a Idade Média se perguntava: Viverá a Igreja? 
Quantas vezes um pai aflito pergunta ao pastor: Haverá esperança para meu filho? E um homem sofredor diz: Estou chafurdado em meus pecados...viverei outra vez? Ezequiel via os ossos e a fé vacilava. Era a dúvida...A dúvida vê sempre a dificuldade; mas a fé sempre vê o caminho...E o Senhor respondeu com o verso quatro: 
Disse-me ele: profetiza a estes ossos e dize-lhes: ossos secos, ouvi a Palavra do Senhor. (Ez 37:4)
Os ossos começaram a viver. Mediante o quê?
(1)    Mediante a pregação – Profetiza... prega... Ó vós que estais aqui esta noite já um tanto  tristes, vencidos...olhai. O poder vem de Deus. Depende de vós desejardes...

(2)    Vos farei entrar o Espírito e vivereis...Alguns séculos mais tarde Jesus haveria de repetir: O Espírito é que vivifica...Ninguém jamais foi regenerado à parte do Espírito.


(3)    Vimos há dias a necessidade de um coração regenerado. Pois o coração regenerado somente o será pelo Espírito Santo que a tudo transforma. Mendelsson, na catedral de Freiburg (Alemanha)pediu para tocar o órgão. Não, este instrumento é muito valioso...Depois de inquirir, Mendelsson começou a tocar... E o zelador, assustado, perguntou: “Quem é o senhor?” – Sou Mendelsson... E o homem em lágrimas replicou: E pensar que quase impedi a Mendelsson de tocar neste instrumento.
Aquele órgão esquecido, encheu-se de vida e derreteu o coração do zelador... Jesus é maior que Mendelsson. 
O som vibrado por Mendelsson fenece. Jesus faz uma fonte no interior dos que creem.

 

III – O mantenedor da unidade do homem com o seu Deus
O Espírito ressuscita os ossos. O Espírito os veste. Mas é o verso 24 que nos mostra o unificar dos homens. O ponto de apoio do trabalho do Espírito está no espírito do verso 24. 
“O meu servo Davi reinará sobre eles; todos eles terão um só pastor, andarão nos meus juízos, guardarão os meus estatutos e os observarão.” 
Quando o Espírito regenera um homem o faz para uni-lo àquele que é a gloriosa cabeça da Igreja.Que é o supremo comandante das hostes daqueles que temem a Deus.
Em Efésios 2, Paulo diz que Jesus fez dos dois um, e trouxe um e trouxe de volta a paz...Ó vós que vos encontrais distante: Olhai para o Unificador.
 O grande comentador, Dr. G. Campbell Morgan,  conta uma experiência que tivera com um moço que havia se convertido há pouco. Tomando uma folha disse ao moço: Que maravilha de folha... Tão linda. O senhor sabe, meu amigo, eu nunca achei coisa alguma bela, acrescentou o moço até que me converti...
Meus amigos, estamos num verdadeiro vale de ossos secos na pátria brasileira. Há podridão em toda parte. Há imoralidade administrativa, não somente aqui. Ossos secos, inteiramente secos. Mas o Espírito e a Noiva dizem vem. Aqui está o Unificador. Aqui está o Salvador. Vinde!

 

Compartilhar
Twitar
Google+
Please reload

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo:

© 2018 Família David Gomes - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido e customizado por MTV Developer - RJ/Brasil

Créditos e Gratidão