A FAMÍLIA NO PLANO DE DEUS: QUANDO CASAR

I – Para ajudar a decidir 1. Quando estiver maduro para casar. Há de haver desenvolvimento físico e emocional. Criança é imatura e egoísta – tudo é seu e para ela. A criança não pesa o custo de nada. Vê o anúncio na televisão e quer logo receber. 2. Júnior ou adolescente – começa a querer para si e para a mãe. Seu amor fixa na mãe. A moça que encontra para casar tem que ser igualzinha a mãe. A fixação da mãe pode destruir o casamento. 3. O homem que ama a si mesmo, ama sua mãe de modo especial, começa a formar um grupo de amigos no trabalho da igreja...Ele nunca deixará de amar a si mesmo. P.G. de BH separou-se da esposa porque a sogra determinou que havia de mandar na casa dela. 4. Interesse particular pelo sexo oposto, começado de modo geral. Com o tempo o interesse vai se tornando particular. Finalmente fixa numa só e somente aquela lhe enche o coação e a alma. Mais da metade dos casais do mundo, declara Paulo Popenoe, Diretor do Instituto Norte Americano de Família, não saíram da imaturidade e arruínam o casamento.

II – O tempo para se casar 1. Quando sentir necessidade de casar-se. Compramos uma camisa pela necessidade e não para ter apenas uma camisa a mais. 2. Quando puder enfrentar o custo do casamento. Finanças, diz-nos Paul Popenoe são importantes, mas é a determinação do par e sua capacidade de crer que movem o gatilho.

III – Com quem deve o homem casar-se 1. A qualidade de pessoas é fator importante no casamento. Quando dois se casam ainda em idade de desenvolvimento, continuarão a crescer juntos ou separados. 2. Casar com quem pode falar a mesma linguagem 3. Casar com quem tenha os mesmos hábitos – no possível 4. Casar com quem frequenta a mesma igreja 5. Casar com aquele que gosta mais ou menos dos mesmos problemas, do mesmo tipo de amigos,etc. Não se trata de igualdade, mas de interesse igual e compreensão. 6. Casar com quem tem um ideal pela frente, um plano de vida. 7. Casar com quem esteja mais ou menos no mesmo plano cultural e social – Mulher mais culta pode criar inferioridade no par. Quando a noiva tende a inferiorizar o noivo será melhor parar.

IV – Fatos para se considerar enquanto preparamos para casar. 1. Os pais dele ou dela vivem bem? Há maior possibilidade de acerto quando o lar de onde o companheiro provém é estável. Queiramos ou não, casamos com a família da moço e vive versa. 2. Ela ou ele vivem bem na companhia dos pais? Ajustam-se à disciplina do lar? Teria ela o desejo de casar-se para fugir a uma situação? 3. Ao escolher um moço ou rapaz não estamos escolhendo apenas a pessoa, mas também um padrão de vida. 4. Tem o escolhido um verdadeiro sentido de vida, dentro de uma disciplina e orçamento? 1) Será que a moça quer apenas um homem, ou procura um lar? 2) Tem o par interesse em continuar estudando? 3) Tem ela ou ele uma vida regular de amigos?... 5. Tem o pretendente uma sadia disposição para compreender e ajudar? 6. Será ela moça realmente feminina e ele realmente homem? 7. Qual o pensamento dos dois a respeito de filhos? Paul Popenoe tem muita reserva quando ao adiamento de nascimento de filhos. 8. Existe amor mesmo que justifique o casamento?

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo:

© 2018 Família David Gomes - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido e customizado por MTV Developer - RJ/Brasil

Créditos e Gratidão