MEU TIPO INESQUECÍVEL

2Co 8.9

 

          Aos leitores de “Seleções do Reader’s Digest” não é estranho o assunto de que nos ocuparemos na breve mensagem de hoje. É que o título “Meu Tipo Inesquecível”, aparece numa das seções de Seleções contando, mensalmente, a experiência de alguém que tenha inspirado ou ajudado de alguma maneira, o autor da notícia. 


          Tenho alguns tipos inesquecíveis. Minha mãe representa um glória com Cristo. Há muito que ela está no céu, pois que faleceu em 1933. Lembro-me tão bem, todavia, da sua vida de oração a Deus, do seu interesse em que seu filho aprendesse a orar também, da maneira como ela sempre o convidava para orar, antes que saísse para a escola ou para o trabalho. Posso rever a expressão de santidade e fidelidade a Cristo que podia ser notada em seu rosto.
           Tenho visto outros crentes morrerem e alguns deles se tornarem inesquecíveis para mim. Possuo atualmente um grande número de amigos, muitos dos quais serão inesquecíveis. Todavia não é a respeito de minha mãe, ou de minhas experiências com servos de Deus do passado ou mesmo dos meus amigos atuais, quem desejo falar como meu tipo inesquecível.
            I – Meu tipo inesquecível é o homem mais estranho que jamais pisou neste mundo. Encontrei-o aos doze anos de idade, numa noite de janeiro. Foi numa igreja onde o encontrei. Já havia ouvido o seu nome muitas vezes. Minha mãe contou-me a sua história repetidamente, todavia, somente o encontrei naquela noite de janeiro. Foi quando o velho missionário Maddox contava a Sua história que pude de fato senti-lo real em mim. Falei com o Dr. Maddox na mesma noite a respeito do estranho personagem. Fui alegre para casa. E Ele começou a mudar o meu destino. Ele fez do ajudante de alfaiate um aluno de ginásio. Ele mudou as conversações, mas aspirações de menino. Ele chamou-me mais tarde para proclamar Sua Palavra ao mundo, como um ministro Seu.


            II – Mas esse homem poderoso que mudou tão maravilhosamente a minha vida, que abriu novos destinos diante de mim, que me revelou coisas estranhas, é de fato um tipo singular. Sua vida é cheia de contrastes chocantes. Ele nasceu na mais humilde das circunstâncias e, no entanto, anjos cantavam louvores por causa do seu nascimento. Ele nasceu numa estrebaria, “porque não havia lugar para Ele na estalagem”, e, no entanto, sábios saíram do longínquo Oriente a fim de visitá-lO em Belém e oferecer-Lhe “ouro, incenso e mirra”, como símbolo da sua adoração.


            Ele não foi concebido por varão, mas teve nascimento miraculoso, pois que nasceu de uma virgem, por obra e graça do Espírito Santo. Ele nunca plantou trigo, mas tomou cinco pães e dois peixes e orou ao Pai, e alimentou cinco mil homens, além de mulheres e crianças... Ele andou sobre as águas do mar encapelado, que os sustiveram... Ele deu vista a cegos e ressuscitou a mortos... Ele deixou um rastro de luz por toda a parte onde andou... Nunca escreveu um livro, no entanto, mais de 60.000 livros já foram escritos a Seu respeito... Ele andou no meio de párias, no meio das decaídas e comeu com os pecadores mais vis e, ainda assim, nunca o pecado pode manchar-Lhe a vida. Ele jamais pecou... Nunca proferiu uma palavra menos digna, nunca ludibriou a quem quer que fosse, nunca mentiu, nunca matou, nunca invejou as riquezas do poderoso ou a fama dos homens de posição... Ele ensinou a todos dizendo: “Amai-vos uns aos outros... Se qualquer te bater na face direita, ofereça-lhe também a esquerda” (Jo 15.12 e Mt 5.3). Ele nunca teve um exército, nunca lançou mão da violência, mas, ainda assim, por Sua causa, um exército de testemunhas fiéis tem sido morto e muitos mais morrerão por Ele se necessário se fizer... Mas tendo sido tão bom, estranho que os homens o tivessem crucificado... E pregado na cruz por mãos perversas eis que, ainda assim sua palavra primeira foi: “Pai, perdoa-lhes, eles não sabem o que fazem” (Lc 23.34). Meu tipo inesquecível foi morto mas a sepultura não o conseguiu prender. Ele ressuscitou e subiu aos céus e está sentado à mão direita de Deus. 


           III – Meu tipo inesquecível pode tornar-se o teu tipo inesquecível também, meu amigo. Desejo que O conheças, pois sei que conhecê-Lo é paraíso de sonhos, de alegrias e de bênçãos... Escuta, pois, e te darei neste momento o nome do teu tipo inesquecível. Seu nome é JESUS – Cinco letras somente, mas em cada uma delas se esconde uma multidão de atributos. Vejamo-las: 


           O J do nome de Jesus significa que Ele é justo e é justificador de todos aqueles que nEle confiam. Por Ele qualquer pecador pode chegar a Deus, pois não há outro Mediador entre Deus e os homens, senão Jesus Cristo homem (1Tm 2.5).


           O E do nome de Jesus significa esperança. Paulo escrevendo a Timóteo disse-lhe:  Paulo... apóstolo do Senhor Jesus Cristo, Esperança nossa (1Tm 1.1) Jesus é a Esperança deste mundo. Ele é Esperança para o mais desesperançado. Se a vida não brilha, se os cuidados te oprimem, amigo, “Vem a Jesus, teu Salvador”. Ele por ti já sofreu grande dor: sangue verteu no Calvário. Dá-te Perdão plenário.


            No S do nome de Jesus, eu encontrei salvação. Quando o Dr. Roberton de Ir’vine estava nos seus últimos momentos, chamou sua irmã e disse: Querida, se pudesse pregar um sermão agora, sabe o que eu pregaria? – O que, respondeu ela – Eu pregaria somente aquele verso da carta aos Hebreus que diz: “Ele pode salvar perfeitamente... os que por Ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles”... (Hb 7.25). Sim, amigos, Jesus salva, não somente na vida, mas nesta vida e na vida além. Ele salva completamente.


             Na letra U do nome de Jesus eu vejo utilidade. Uma vida sem visão, sem utilidade, se transforma numa vida útil quando Jesus chega. Uma senhora disse-me certa vez: Pastor, antes de me converter eu não sabia fazer outra coisa, senão jogar no bicho, mas depois que O achei tudo se transformou para mim...


             Na ultima letra do nome de Jesus eu vejo segurança. Fanny Crosby era cega. Não via a luz do sol, as belezas físicas do universo de Deus. Mas Fanny Crosby pôde escrever: Que segurança, sou de Jesus / Eu já desfruto o gozo da Luz / Sou por Jesus, herdeiro de Deus / Ele me leva à glória dos céus... Canta minha alma, Canta ao Senhor / Dando-Lhe sempre ardente louvor / Canta minha alma, canta ao Senhor / Dando-Lhe sempre, ardente louvor”...


             Ao apresentar-lhe Jesus, o Filho de Deus, uma oração sobe ao trono da graça onde Cristo está, pedindo-Lhe que te ajude a encontrá-lO, a fim de que Ele se torne o teu tipo inesquecível também, e que como Tomé, o apóstolo que antes duvidara, possas dizer: “Senhor meu, e Deus meu” (Jo 20.18).

EM: A VOZ DA ESCOLA BÍBLICA DO AR
Ano I – Dezembro de 1952 – número 2
Pastor David Gomes
 

Compartilhar
Twitar
Google+
Please reload

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo:

© 2018 Família David Gomes - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido e customizado por MTV Developer - RJ/Brasil

Créditos e Gratidão