O DEUS DAS COISAS MÍNIMAS - MT 10.30-31; LC 12.1-9

Introdução: Certo professor de ED perguntou a seus alunos sobre o que pensavam ser o pensamento divino em relação ao bombardeamento do átomo e a resposta foi que Deus não se envolve em átomos. O fato é que ele se interessa tanto em átomos quanto nos grandes planetas. Há uma presença divina em todas as coisas, como um superintendente cuidadoso, que estampa sua marca naquilo que lhe pertence.

Pensamos hoje em alguma coisa de muito valor. Mas para esse pequeno valor, a Palavra de Deus nos dá um ângulo de ternura divina. Se assim é, bom será que retemperemos nossa fé e nosso amor.

I – O valor de um pequeno pardal

O pardal é pequenino (família dos ploceideos). Estes pássaros eram comuns no Norte da Palestina e alegravam as margens do famoso mar da Galiléia. Uma característica dessa espécie de ave é seu caráter associativo. Sempre em bandos alegres.

1. Dois pardais custavam um oitavo de um centavo americano, menos de dez centavos nossos, que não valem nada. Cinco pardais custavam o dobro. Vê-se, pois, que um deles saia de quebra (cinco cruzeiros antigos) 2. Deus cuida desse pardal que entra na casa de Deus (Salmo 84.3), mas que nada entende das coisas. Ali está uma grande multidão, mas Deus está interessado em um indivíduo. Ele se interessa pelos nossos problemas, por menores que nos consideremos.

II – O valor de um fio de cabelo

1. Alguns especialistas de beleza fizeram um estudo e descobriram que uma pessoa loura tem, em média, 145 mil fios e de um cabelo mais duro terá em média 90 mil fios. 2. Penteamos nossos cabelos e procuramos no pente os fios deixados para jogá-los fora, sem a menor preocupação. Mas Deus cuida dos fios dos nossos cabelos e por eles se interessa.

III – O valor de um quadrante – Mar. 12.41

1. Temos aqui em Marcos a história de uma mulher muito pobre que entregou a Deus um quadrante, moeda que equivalia a um centavo em nossa moeda. 2. Aquele quadrante de valor tão insignificante, no entanto, emocionou o coração de Jesus.

IV – O Valor de um pequenino – Mat. 10.13-15

Jesus se indignou por causa do desprezo que fora dado a alguns pequeninos... Mateus diz-nos que ele lhe impôs as mãos cheio de alegria...

V – O Deus que atenta para uma reunião de oração de três pessoas – Mat. 18.20

Um poeta temente a Deus escreveu:

Em meu quarto sob uma carga imensa de cuidados, Pensava em Deus, buscando-O em oração, Quando um pardal, zunindo qual relâmpago, Entrou nessa mansão... O tempo era mau, a neve avassalava, as nuvens eram pesadas. Mas o pássaro era lépido, irradiando alegria... Ao vê-lo, pareceu que ouvia um bom conselho... Não tenho depósito abundante em celeiros, Mas um Deus que cuida de mim. Se o inverno traz problemas, a neve inclemente, Eu olho para o céu e encontro o que preciso... Aquele pássaro assim franzino Foi como um texto vivo a aliviar o meu peito. Meu Pai vela por mim, se puder depor a seus pés toda a minha dor. Deixei, pois, o meu fardo aos pés do meu Senhor, Senti sua paz extravasar em mim.

Se desejar, deixe o seu comentário abaixo:

© 2018 Família David Gomes - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido e customizado por MTV Developer - RJ/Brasil

Créditos e Gratidão